Consultor, Formador, Speaker e Fundador de vários projetos nacionais e internacionais. Google Certified Professional, com diversas certificações internacionais de SEO, Web Development e Marketing Digital, áreas em que é Consultor.

Canal do WebMarketingPT no YouTube – “I’ll Be Back!”

O Web Marketing PT tem um canal no YouTube desde Junho de 2009, onde são publicados todos os vídeos que tenho feito, recheados de dicas, tutoriais e outros conteúdos de interesse.

Já passou um ano desde a sua “abertura”, em que personalizei a aparência do canal para ganhar mais destaque que o visual “normal” e quero partilhar aqui no blog, esta experiência, bem como convidar todos os leitores e assinantes a subscreverem o canal do Web Marketing PT no YouTube.

canal webmarketingpt youtube

Não sou, nunca fui nem nunca serei estrela da televisão ou da rádio, mas também nunca me importei nada com isso.

Sempre pensei que seria sempre mais importante passar os conteúdos e o conhecimento para quem estivesse interessado em aprender, do que ser muito eloquente ou profissional na realização e edição dos vídeos.

Diga-se de passagem, que para fazer um vídeo de 5 minutos, entre preparação e organização do conteúdo, fazer o vídeo, editar o vídeo, publicá-lo, etc, muito raramente me toma menos de 1 hora/ 2 horas.

Mas isso é porque, eu também sou um pouco exigente, e se as coisas não me saiem minimamente em condições, prefiro gravar o vídeo outra vez.

O Vídeo Marketing é, sem qualquer dúvida, uma das melhores formas de comunicação e de web marketing que eu tenho visto e implementado, além de funcionar muito bem para captar audiências e aumentar as visitas do blog, bem como de outros projectos meus, ou de qualquer outro projecto.

Por este motivo, será também um dos temas que irei abordar em maior detalhe aqui no blog, em que passarei dicas práticas sobre como fazer vídeos, como divulgá-los, e como utilizá-los para aumentar as visitas do seu site.

canal do webmarketingpt no youtube - homepage

Entretanto, fico muito satisfeito se aceitar o meu convite e se juntar a mim, subscrevendo o canal do Web Marketing PT no YouTube.

Tal como já disse imensas vezes, é importante termos feedback do trabalho que fazemos, seja em que área for, por isso gostaria muito que me deixasse o seu feedback nos videos no Youtube.

Veja os vídeos, vote, comente e subscreva o canal que eu estarei por lá a acompanhar e a responder aos comentários, tal como faço aqui no blog, além de que podemos sempre partilhar outros vídeos de interesse entre nós.

Para os mais distraídos, deixo o aqui link mais uma vez 🙂 : Web Marketing PT no YouTube!

E como este artigo merece uma despedida cinéfila:

“I’ll be back” 🙂

Email Marketing Bate Social Media Aos Pontos

Em 2010, embora haja um crescimento muito grande das redes sociais, o Email Marketing, continua a ser a melhor ferramenta de marketing para dar a conhecer os seus sites, produtos e serviços, ou os de terceiros através de programas de afiliados.

Enquanto que o Facebook afirma que o email vai desaparecer, o facto é que, é mesmo o email que tem melhores resultados em termos de gerar negócio.

estudo email marketing

Um estudo realizado pela eConsultancy, revela que o email continua a ser o meio de comunicação preferido pelos consumidores, e que o email marketing continua a ser a técnica que melhor resultados apresenta.

Sem dúvida que as redes sociais são importantes para qualquer site ou negócio online, mas abdicar do email marketing para apostar apenas nas redes sociais é, a meu ver, um erro crasso!

Na minha opinião, são métodos que se complementam e que devem ser implementados em conjunto para que possa ter melhores resultados, tanto em termos de visitas no seu site, como em termos de negócio.

Outra questão que revelou resultados curiosos, foi quando se questionou os utilizadores, para saber quantas empresas lhe enviam emails com real valor.

Curiosamente, apenas metade destes emails são considerados de valor pelos utilizadores, o que representa ainda assim, uma oportunidade excelente para quem está realmente disposto em oferecer conteúdos de valor aos seus assinantes, e não apenas promoções dos seus produtos ou serviços ou promoções de outros produtos em troca de comissões.

Como é sabido, os utilizadores são cada vez mais exigentes – eu próprio testemunhei isso no questionário que fiz recentemente aos assinantes do blog – e, se você se empenhar apenas em “impingir” a venda de produtos ou serviços, dificilmente será visto com bons olhos, mesmo que gere algumas vendas.

O pior erro que pode cometer, é mesmo este! Não criar uma relação com os seus assinantes ou prospectos, de forma a ganhar a sua confiança e a ser visto como um parceiro, e não como um vendedor.

Pessoalmente, já utilizo os serviços de email marketing da Aweber há mais de um ano e estou muito satisfeito com o seu serviço, pelo que me sinto confortável para o recomendar. Mas seja este ou outro qualquer que você decida adoptar, é importante é que tenha consciência do seu potencial e da sua importância.

O meu conselho, é o seguinte:

Se ainda não utiliza o email marketing no seu site e no seu negócio, comece já! Não perca mais tempo a pensar que não funciona e que não apresenta resultados.

Pode visitar aqui o site da Aweber.

Design VS Usabilidade – Video Case Study

Um dos maiores conflitos de sempre na criação e manutenção de sites e blogues, é entre o design e a usabilidade!

Situações em que se gosta muito de um design, mas que ele não é a melhor opção por vários motivos, tendem a ser muito prejudiciais quando se opta pelo lado do design. Neste vídeo, eu mostro-lhe um caso prático, de como pode ser prejudicial não ter atenção ao que é mais importante!

Quando o Web Marketing celebrou o seu primeiro aniversário, uma das alterações que eu fiz, foi alterar o design do blog para outro template, com um visual (na minha opinião) mais moderno e mais atraente.

De qualquer forma, os mais atentos, certamente já perceberam que voltei a mudar o design do blog para o template que tinha anteriormente, com algumas alterações e melhoramentos. Eu sei que alguns de vocês gostam mais do design anterior, que é quase igual ao actual, mas gostos são gostos e não se discutem, certo? 🙂

De qualquer forma, o mais importante, será o design? Se é bonito ou feio?

Veja este vídeo, onde lhe mostro, como você se pode prejudicar se não der importância ao mais importante!

Depois de ver este vídeo e os resultados que partilhei consigo, provavelmente considerará realizar algumas mudanças no layout do seu site. É certamente uma atitude inteligente, pois muitas vezes pequenas mudanças podem fazer uma grande diferença, como foi o caso da existência ou não de um menu com as categorias no topo do blog, por exemplo.

O facto é que, por vezes estamos tão “viciados” a um determinado visual, que nos esquecemos que se podem fazer muitas alterações que podem melhorar bastante o desempenho do nosso site.

Por isso é igualmente importante, utilizar uma ferramenta de Web Analytics, como o Google Analytics, para conseguir perceber o impacto das mudanças que faz e como pode melhorar o desempenho e resultados do seu site.

Já experimentou melhorar os resultados do seu site fazendo alterações ao layout/design?

O Seu Site é Mobile? Saiba o Que Perde!

Ter um site mobile ou não, pode começar a fazer muita diferença, não fosse o número de utilizadores de internet móvel estar a aumentar consideravelmente de dia para dia.

Tal como já tinha avançado aqui no Web Marketing PT, uma das tendências para 2010, é o mobile!

web marketingpt mobile

Com mobile, refiro-me claro, à internet móvel, ou melhor ainda, à utilização da internet em dispositivos móveis, dos quais o melhor e mais utilizado exemplo é o telemóvel (ou “celular” como dizem os amigos brasileiros 🙂 ).

A questão, é que até mesmo em Portugal, já se têm feito estudos e os resultados até a mim me surpreenderam, não só no número de utilizadores que já aderira à internet móvel, mas em vários outros aspectos, como é o caso das horas do dia em que existe maior utilização, que nem sequer é durante o dia (como eu pensava) mas sim à noite.

Não é novidade que o mundo está em constante mutação, todos sabemos disso, mas é exactamente por esse motivo, que eu acho que aderir a esta nova tendência deve ser uma prioridade também para si.

Um outro estudo realizado nos Estados Unidos, revela que o telemóvel serve cada vez menos para se falar ao telefone (quem diria…) e que embora o número de telemóveis em circulação tenha aumentado consideravelmente, o número de minutos utilizados em conversa estagnou.

Este estudo aponta as maiores utilizações do telemóvel, como sendo o acesso à internet, ao email, jogar, utilizar aplicações, mandar sms’s. (Fonte: New York Times)

Se olharmos para os resultados de outros estudos recentes, como é o caso de um estudo efectuado pela Pew Internet & American Life Project, chamado “O Futuro da Internet III”, uma das conclusões desse estudo é que os telemóveis vão ser o principal meio de acesso à Internet em 2020.

Ok não é já para o ano que vem, mas a mudança também é gradual.

Pense nisto como a fase inicial da Internet, onde haviam muitas empresas que achavam desnecessário ter um site na internet, e agora, uma empresa que não tenho um site, por simples que seja, é “coxa” em termos de imagem e de canais de negócio.

O próprio Web Marketing PT, já tem uma versão mobile!

Esta é uma excelente notícia para os utilizadores do wordpress, porque já existem vários plugins que tornam tudo muito mais fácil.

O que eu uso aqui no blog, é o WP-PDA, mas existem imensos, para todos os gostos.

E o seu site, já é mobile?

Google vs Facebook… Quem Ganhará?

Está oficiosamente instalada a guerra entre a Google e o Facebook!

Recentemente, um fuga de informação aponta no sentido da Google estar a prepara a sua própria rede social para competir com o Facebook, a Google Me.

google vs facebook

Foto original: Flikr

A Google reconhece assim que tem perdido terreno no campo das redes sociais e que o Facebook é o seu maior concorrente, não fosse este ter muito recentemente atingido a distintiva marca dos 500 Milhões de utilizadores em todo o mundo.

Esta notícia veio a lume através de uns comentários do CEO do Digg e de um ex-responsável do Facebook que afirmam que as suas fontes são fidedignas.

Oficialmente, a Google não confirma, mas também não desmente.

“That would be a product announcement and I won’t say,”

disse o Chief Executive da Google Eric Schmidt.

Eu acredito que seja verdade, pois como sabemos, as redes sociais são uma das áreas em maior expansão na Internet.

Por outro lado, o Facebook, está a aproveitar o seu botão “Gosto” (“Like” em inglês), para testar e organizar os resultados das pesquisa efectuadas no próprio Facebook.

Poderá o Facebook, considerar a opção de criar um motor de busca no futuro?

Seja como for, é um facto que a Google perdeu terreno no campo da publicidade para o Facebook e no campo das redes sociais para os players já existentes.

Inclusivamente, a Google já está a tomar medidas no sentido de associar as contas do YouTube às contas Google, o que poderá ser um indício da recolha e integração de informação para potenciar a sua própria rede social Google Me.

Normalmente, com a concorrência quem fica a ganhar são os utilizadores, por isso, estão criadas as condições para uma guerra interessante de seguir.

E por falar em seguir, já conhece a página do Web Marketing PT no Facebook?

A página é algo recente, por isso junte-se a mim no Facebook e marque a sua preferência com um “Gosto”!

Encontramo-nos lá! 🙂


O Que é Um Video Sitemap e Porque é Que Você Deve Ter Um

Muito provavelmente o seu site também tem vídeos inseridos nas suas páginas. Se assim é, um video sitemap pode ajudá-lo a melhorar a performance do seu vídeo/site junto do Google e dos restantes motores de busca.

Actualmente, são poucos os sites ou blogues que não têm vídeos embebidos nos seus conteúdos e nas suas páginas, não fosse o vídeo uma ferramenta de comunicação indispensável nois dias de hoje.

O Que é Um Video Sitemap?

Um Video Sitemap é um ficheiro em formato de texto que inclui informação sobre os vídeos que tem embebidos ou inseridos no seu site, e é especialmente útil porque ajuda os motores de busca a lerem melhor este tipo de conteúdos, nomeadamente o Google, mas não só.

Porque é Que Você Deve Ter Um Vídeo Sitemap?

Este novo tipo de sitemap, é um complemento ao sitemap “tradicional”, que normalmente apenas incluí páginas e urls.

Além disso, o Video Sitemap irá também contribuir para uma presença e um melhor posicionamento das suas páginas nos rankings do Google, tanto nas pesquisas de vídeos (video search) como nas pesquisas universais (ou genéricas).

Veja este vídeo sobre Video Sitemaps gravado por um responsável da Google ou visite esta página no site do Google para saber mais sobre video sitemaps.

Se você tem um site ou blog em WordPress, então tem a tarefa facilitada, uma vez que, se utilizar o plugin XML Sitemap, este já suporta vídeos do YouTube (mas apenas estes).

Também estará ainda mais facilitada, porque existe um outro plugin específico para criar video sitemaps, que é o Video Sitemap Plugin, que cria o seu video sitemap, apenas com alguns cliques, e sem precisar “meter as mãos na massa”.

Se o seu site não é baseado em WordPress, também não há problema, pois eu encontrei uma solução simples e gratuita para si.

Vá até ao Video Sitemap Pro e pode fazer o download de um programa gratuito que faz o efeito necessário.

Depois de criar o seu vídeo sitemap, basta ir até ao Google Webmaster Tools, ao Bing Webmaster Center e ao Yahoo Site Explorer e submeter o seu novo sitemap a cada um dos motores de busca.

Se utiliza vídeo no seu site ou blog, então criar o seu vídeo sitemap deve ser uma prioridade, dadas as vantagens em termos de SEO e posicionamento nos rankings das pesquisas nos motores de busca.

Já conhecia o video sitemap e a sua importância?

Backlinks: Como Conseguir Mais Links Para o Seu Site

Como conseguir backlinks ou links que apontam para o seu site, é uma questão importante para o ajudar a obter bons rankings nos motores de busca.

A este processo chama-se Link Building, e é um dos processos fundamentais para implementar a optimização do seu site ou blog, de forma a conseguir mais visitas.

No entanto, quando se fala em conseguir backlinks, estes podem ser criados por si, ou criados por outras pessoas, e é sobre esta segunda hipótese, que vou falar neste artigo.

Existem muitas formas de conseguir backlinks para o seu site. Algumas delas mais eficazes que outras, mas no entanto, (quase) todas elas são válidas e contribuem de alguma forma para melhorar o seu posicionamento nas páginas dos resultados das pesquisas nos motores de busca, ou SERP’s (Search Engine Result Pages).

Como já disse aqui no Web Marketing, é muito importante que o seu site esteja presente na primeira página do Google, e dos outros motores de busca, quando alguém realiza uma pesquisa utilizando um termo ou expressão relacionada com o seu site, caso contrário, dificilmente conseguirá aumentar as visitas sem ter de pagar por isso.

Assim, e porque para conseguir bons rankings nos motores de busca, é fundamental que o seu site tenha backlinks, torna-se necessário implementar uma estratégia de Link Building.

Embora já tenha falado sobre como implementar uma estratégia de Link Building, como considero este assunto importante em termos de SEO, deixo aqui mais algumas dicas práticas para conseguir mais backlinks, desta vez de forma natural, isto é, sem que seja você a criá-los activamente.

Os métodos que abordo neste artigo, são algo diferentes, pois são métodos que assentam na criação de algo que seja apelativo para os interessados no tema em questão, de tal forma, que sejam eles mesmos a criar os links para o seu site de forma natural, a título de recomendação para os seus visitantes, leitores e/ou amigos:

1. Publicar um Recurso

A publicação de um recurso de importância reconhecida para os interessados na sua área, é sem dúvida, uma excelente forma de conseguir que outros o referenciem noutros sites, blogs, fóruns ou redes sociais.

Naturalmente, é fundamental que seja um recurso que sirva para corresponder a uma necessidade existente, caso contrário, não terá o impacto esperado.

Imagine um site sobre plantas (não sei porquê, mas foi o que me veio à cabeça). Se este site disponibilizar um guia com todas as plantas de interiores, ou com todas as plantas carnívoras, ou todas as plantas existentes numa certa região ou país, muito provavelmente será algo interessante e diferente, o que fará como que, os seus leitores, divulguem espontaneamente o link para este recurso em outros sites.

2. Oferecer Software

Oferecer um software ou licenças para um determinado software relacionado com os interesses dos utilizadores do seu site é outra excelente forma de conseguir a criação espontânea de backlinks para o seu site.

3. Sorteios ou Passatempos

Sem dúvida uma iniciativa que, normalmente gera muito interesse à volta de um site é a realização de sorteios ou de passatempos. No entanto, para que tenha bons resultados, tenha sempre em consideração o que é que os seus utilizadores gostam ou estão interessados. Se sortear algo que não seja do seu interesse, certamente não terá muita aderência.

4. Tutoriais e Manuais

Publicar artigos informativos sobre como fazer algo é sempre uma referência para as pessoas que procuram esse tipo de conteúdos. E se for um tutorial ou manual bem detalhado e executado, será concerteza, alvo de mais buzz e referência em outros sites, fóruns ou blogs do mesmo nicho.

5. Criar Comunidades

Todas as pessoas gostam de pertencer a algo. Faz parte da natureza humana, pois o Homem é um ser comunitário, e como tal, gosta de pertencer e participar em comunidades.

Através de algumas redes sociais como o Facebook, e de alguns sites de comunidades como o Ning, é possível você criar uma comunidade e permitir aos seus leitores, assinantes, visitantes, ou clientes, juntarem-se a essa comunidade e partilharem conteúdos, informações, etc. Para o caso específico de criar uma comunidade, até é mais indicado o Ning.

6. Conteúdos de Qualidade

Last, but not least; e embora não seja propriamente uma novidade, pelo menos para os leitores do blog, pois eu já fiz essa referência varias vezes, a criação de conteúdos com qualidade, é muitas vezes alvo de criação de backlinks de forma espontânea, pois todos gostamos (ou quase todos) de dar mais e melhor aos nossos leitores ou a quem procura saber informação sobe algo em particular.

Conclusão

Esta é, a meu ver, uma abordagem um pouco diferente, pois normalmente, é mais comum, o tema centrar-se em ser o próprio webmaster a criar os seus próprios backlinks.

Utilizando estas dicas, aumenta consideravelmente a probabilidade de haver uma criação espontânea de backlinks para o seu site sem que você tenha qualquer intervenção, o que é sempre de valor.

Haverá, naturalmente outras formas de o fazer, e se quiser acrescentar algo a este artigo, pode fazê-lo.

Espero que tenha gostado e que use estas dicas, para contribuir para aumentar o número de backlinks para o seu site.

Curso de SEO e de Web Marketing Terminado… Finalmente!

Depois de meses de muito estudo, consegui finalmente concluir mais um curso, desta vez o de Professional Internet Marketer.

É um curso bem mais vasto que o que eu pensava e deu-me ainda mais conhecimento sobre temas tão importantes como SEO, Social Media, Web Marketing, Web Analytics, entre outros.

Estou muito satisfeito com mais este marco no meu curriculum, e apesar de haver muitas matérias em que eu já tinha conhecimentos, nós nunca sabemos tudo e há sempre alguma coisa a aprender.

Deixo aqui o link para o meu certificado do curso, que terminei com 97 em 100 e que é ministrado pela Web CEO, para os mais interessados poderem consultar.

Os conteúdos do curso estão divididos por 100 aulas, e em várias temáticas:

  • Internet niche research, advanced keyword competitiveness analysis and keyword strategy;
  • On-page and off-page search engine optimization for enhanced Web visibility;
  • Advanced and site-specific optimization techniques;
  • Website structural optimization;
  • Rank monitoring and ranking trends analysis;
  • Setting up link partnerships, improving link popularity and external site theme;
  • Site quality assessment and site quality management;
  • Applying effective social media tactics;
  • Social media optimization;
  • Advertizing in social media;
  • Tracking your performance in social media;
  • Web analytics, visitors’ behavior analysis;
  • Website conversion and ROI analysis and improvement;
  • Advanced PPC strategies;
  • Advanced Bid management;
  • Setting up, running and analyzing e-mail marketing campaigns;
  • Setting up affiliate programs and optimizing their performance.

Com isto, além de me ajudar a melhorar o meu posicionamento nas minhas áreas de eleição: SEO, aumento de visitas e Web Marketing, também será do benefício dos assinantes do Web Marketing, pois passarei mais conhecimento para vocês.

Espero que partilhem da minha satisfação, pois, como uma vida tão ocupada, é cada vez mais difícil conseguir arranjar tempo para tudo.

O Que é Email Marketing – O Verdadeiro Conceito!

Muitas pessoas pensam que o Email Marketing é uma ferramenta ou um meio de envio de emails. Na verdade, não podiam estar mais enganados. Email Marketing, é muito, mas muito mais que isso!

Já li vários artigos publicados sobre email marketing e todos eles falham – de alguma maneira – na altura de conseguir explicar o que é afinal email marketing.

Para ajudar a clarificar, vou passar a explicar o que não é email marketing:

  • não é o envio de emails para uma lista de endereços de email
  • não é o envio de publicidade por email

Isto são apenas as práticas que são executadas no âmbito da implementação de uma estratégia de Email Marketing, mas Email Marketing não é isto.

O verdadeiro conceito de Email Marketing, está relacionado com aspectos tão importantes como a criação de relações, aumento do conhecimento, proximidade, reputação, credibilidade, criação de imagem e bidireccionalidade da comunicação.

Quando pensamos em termos de promoção, crescimento e evolução de um site, blog ou negócio online, temos que considerar o email marketing como ingrediente obrigatório, para nos permitir aplicar uma série de técnicas que, por sua vez, alargam o nosso campo de acção e nos permitem concretizar uma série de objectivos, que de outra forma seriam muito mais difíceis de atingir.

Para ter uma noção mais concreta do verdadeiro potencial do Email Marketing, deixo-lhe aqui as suas principais vantagens:

Criação de Imagem e Reputação

A criação de uma imagem distinta e de uma boa reputação online é algo fundamental, para não ser visto como sendo mais um, no meio de tantos outros. Esta aposta é uma aposta cada vez mais necessária para conseguir destacar-se dos restantes concorrentes e para criar uma imagem de referência no seu nicho.

Estabelecimento de Relações Interpessoais

Criar e alimentar relações com os seus prospectos, clientes ou assinantes, é algo que o torna mais próximo deles, e que os aproxima de si. Não falo da criação de grandes amizades (o que não implica que não possa acontecer), mas no estabelecimento de relações com base em confiança e entreajuda, entre outros aspectos. Se as pessoas confiarem em si, mais facilmente seguirão uma recomendação sua, do que noutra situação qualquer. Da mesma forma, que se confiarem em si, e precisarem de um serviço ou produto que você também forneça, mais facilmente recorrem a si do que a qualquer outro fornecedor desse produto ou serviço.

Maior Proximidade

A correcta utilização do Email Marketing, permite-lhe uma relação mais próxima e bidireccionalidade na comunicação com os seus destinatários. Se é um facto que poderá utilizar outros recursos para conseguir este objectivo, também é verdade que esses outros recursos não proporcionam a mesma privacidade e confidencialidade.

Maior Conhecimento – Knowledge is Power!

Como diz aquela máxima; conhecimento é poder. Eu vou mais longe, e digo; conhecimento não é poder, mas dá-lhe poder!

Neste caso, dá-lhe um poder imenso para colher conhecimento dos seus destinatários, seja para saber a sua opinião sobre produtos ou serviços ou sobre qualquer outro tópico, pode com muita facilidade recolher conhecimento que lhe permitirá tomar decisões mais acertadas em função das opiniões recolhidas.

Exemplo: Em 2009, questionei os assinantes do blog sobre que tipo de conteúdos gostariam de ver publicados no Web Marketing PT, e em função dos resultados, decidi dedicar mais artigos e atenção para os temas que as pessoas elegeram como mais importantes para eles.

Em 2010, renovei o blog e tenho pensado em alguns conteúdos para publicar, mas decidi que fazia sentido saber a opinião dos leitores sobre as modificações que fiz no blog e sobre a natureza dos conteúdos que os leitores consideram mais importantes para si.

Não me interprete mal, eu tenho ideias muito claras sobre o que quero para o blog, mas já agora, porque não ficar a saber quais os maiores interesses dos leitores e fazer incidir mais artigos e vídeos nesses temas?

Muitas vezes as ideias que temos pré-concebidas, não passam disso mesmo, e aquilo que pensamos ser verdade e do interesse das pessoas, afinal não é bem assim e passa completamente ao lado.

O que é que eu ganhei com isto?

Em vez de publicar artigos apenas baseado no que eu pensava que poderia eventualmente interessar aos leitores, dei-lhes voz, e ouvi a sua opinião, para com base nisso, publicar mais artigos que fossem de encontro às suas necessidades e expectativas, aumentando assim o seu grau de satisfação por serem assinantes do blog.

O que é facto, é que algumas pessoas leram uns artigos ou ebooks em inglês sobre email marketing e ficaram a conhecer a conhecida expressão “The money is in the list” (o dinheiro está na lista), e então, tentam simplesmente impingir os seus conteúdos, serviços e produtos aos seus leitores ou assinantes e declaram que praticam o “Email Marketing”.

A realidade é muito diferente::

The Money is NOT in the list. It’s in the relationship you have with your list!

O verdadeiro ouro, está na relação que você tem com os seus contactos. Aí sim, está o dinheiro!

Quanto melhor for a relação que você conseguir construir com os seus destinatários, tanto maior será o seu retorno. Quanto mais confiarem em si, mais facilmente aceitarão as suas sugestões e indicações. E isto não é um mito, é um facto!

Não se deixe iludir pelos pseudo-especialistas, que se limitam a enviar emails com auto-promoções ou a promover programas de afiliados para receber as suas comissões. Esses pensam apenas em engordar a sua própria carteira, à sua custa!

Não estou a querer insinuar que só aqui encontra informação útil sobre este (ou outro) tópico, longe de mim fazer tal presunção – até porque já li bons artigos sobre email marketing em português – quero apenas alertá-lo para ser estar atento a este tipo de situações.

Moral da História

Email Marketing não se resume apenas ao envio de emails para a sua lista de clientes, prospectos ou assinantes. Nem tão pouco a promover produtos ou serviços em troca de uma comissão. O Email Marketing é a utilização do email, como canal privilegiado de comunicação, em que você pode fazer isto tudo e muito mais, mas em que deve ter sempre presente o seu verdadeiro poder – disponibilizar valor real para os seus destinatários e criar relações – para mais tarde, poder colher mais frutos desse investimento.

E você já utiliza todo o potencial do Email Marketing no seu arsenal?

Como Publicar Artigos em Directórios de Artigos – Boas Práticas

O Marketing de Artigos em português é uma prática que tem vindo a ganhar adeptos ao longo dos últimos tempos, fruto dos bons resultados obtidos com a implementação desta técnica de marketing e divulgação em directórios internacionais.

Além de ter várias vantagens associadas e de contribuir para aumentar as visitas ao seu site, o Marketing de Artigos, como qualquer outra técnica de marketing, funciona muito melhor quando você cumpre algumas regras.

Por isso, e por ser comum ver erros (alguns graves) na publicação de artigos em directórios de artigos, resolvi reunir algumas dicas práticas para que possa tirar mais e melhor partido do Marketing de Artigos.

1. Cumpra as Regras

A verdade é que a maior parte das pessoas não se dá ao trabalho de ler as regras de submissão de artigos nos directórios de artigos.

Os directórios tem regras comuns, mas tem algumas regras próprias, e o pior que se pode fazer, é não as ler, nem que seja uma vez. O que acontece é que, ao não as ler, elas não serão cumpridas, e muitas vezes os artigos nem sequer são aprovados. Logo, corre o risco de não ter os seus artigos publicados.

2. Seja Apelativo

Na criação do seu artigo e do respectivo título, seja apelativo e utilize linguagem capaz de captar a atenção do leitor.

Desperte o interesse das pessoas em ler mais, através da utilização de linguagem que chame a sua atenção, e as deixe curiosas em ler mais, sem entrar em exageros desnecessários.

3. Corresponda ás Expectativas

Como já mencionei aqui no blog no artigo sobre como escrever artigos optimizados para captar mais visitas, não devemos criar falsas expectativas nas pessoas, sob pena de as deixarmos ficar mal e sermos penalizados por isso.

4. Publicidade Directa Nunca

Nunca utilize um artigo para escrever publicidade directa sobre o seu site, ou os seus produtos ou serviços.

As pessoas quando estão a ler artigos, não querem consumir publicidade. Elas procuram conhecimento sobre um determinado tema e se a única coisa que encontram é publicidade sobre alguma coisa, muito provavelmente nem sequer acabarão de ler o artigo.

5. Crie Valor Acrescentado

Escreva artigos que contenham real valor para quem os lê, e que lhes transmita conhecimento sobre o tópico em questão.

Como disse no ponto anterior, as pessoas ao lerem artigos, procuram conhecimento sobre algo. Se você transmitir conhecimento nos seus artigos, quem os ler, não só vai ficar satisfeito por ter encontrado um artigo útil, como vai ficar curioso de saber mais sobre esse tema e sobre quem o escreveu. Nesse caso será meio caminho andado para a pessoa clicar no link para o seu site, ou para o site cujo url você adicionou no artigo ou na secção “Sobre o Autor”.

6. Crie um “Sobre o Autor” Inteligente

Alguns directórios de artigos permitem a inclusão de links no corpo do artigo, outros não.

Seja em que situação for, é fundamental saber criar uma caixa “Sobre o Autor” que tenha os pontos fundamentais e que deixem o leitor com vontade de clicar e saber mais.

Entres estes pontos, destacam-se os seguintes;

  • o nome do autor do artigo, o que faz esse autor (dono do blog … com o respectivo link)
  • algo que contextualize o artigo dentro do tópico em questão (saber como … é das coisas mais importantes quando se trata de ….)
  • e um call to action, tipo “para saber mais sobre … clique aqui”, ou “veja toda a informação sobre … no blog ….” com o respectivo link

Conclusão

Se ainda não utiliza o Marketing de Artigos para aumentar as visitas ao seu site ou blog, está a desperdiçar recursos bons e gratuitos que têm muitas vantagens associadas.

Além do que já disse, acho importante reforçar esta ideia: informe-se sempre junto de cada directório de artigos das suas regras, e cumpra-as, sempre!

Só assim poderá desfrutar dos benefícios que o Marketing de Artigos lhe poderá trazer a si e ao seu site.

NOVOS Domínios .CO Já Disponíveis

Os domínios .co já estão disponíveis, mas apenas através de alguns registrars.

Até há pouco tempo só era possível efectuar o pré-registo dos domínios com a extensão .co, mas a partir de agora, já vão estar disponíveis para registo por qualquer pessoa.

O registo de domínios .co tem algumas vantagens, pois permite-lhe aceder a domínios premium com um custo muito aceitável.

Quando escrevi este artigo, apenas alguns registrars (julgo que 3) têm estes domínios disponíveis para registo, entre os quais a GoDaddy.

A principal vantagem destes domínios, é que lhe permite conseguir o domínio que sempre quis e não conseguiu até agora, por já ter sido registado por outra pessoa.

Eu próprio já registei 2 domínios .co.

Quanto ao preço destes domínios, é um pouco mais caro que os .com, .net e .org, mas também tem uma disponibilidade muito maior que estes. O valor do registo de um domínio .co é de $29,99 USD.

A sua maior disponibilidade compensa o facto de ser mais caro que os .com, mas também depende muito do tipo de projectos que poderão ser equacionados para o seu registo.

Mas por exemplo, domínios apenas com uma palavra, podem ainda estar disponíveis se for um .co, enquanto que se for um .com, .net ou .org, certamente está ocupado, e os que estão à venda, são caríssimos.

Aproveite já para garantir o seu domínio premium preferido, fazendo o registo através da GoDaddy.

Boa sorte!

A Publicidade no Facebook Resulta? – Case Study

Tenho lido bastante sobre publicidade no Facebook e como se poderá tirar vantagens desse meio em termos de publicidade, dadas as vantagens de segmentação que o Facebook permite.

Alguns artigos falam mesmo da substituição da publicidade do Google Adwords a favor do Facebook, devido aos altos (e crescentes) custos por clique cobrados pelo Google, por isso resolvi fazer um teste e partilho aqui consigo os resultados.

campanha no facebook

(Se clicar nas imagens, pode visualizar melhor os dados – abrem outra janela)

Neste meu teste, criei uma campanha que teve a duração de cerca de 5 dias, para promover (como afiliado) um produto de emagrecimento/perda de peso, especialmente destinado a mulheres.

Aproveitando as possibilidades de segmentação que o Facebook disponibiliza, a campanha foi direccionada a mulheres, entre os 30 e os 50 anos de idade, residentes nos Estados Unidos e com interesses relacionados com o verão, uma vez que o copy (ou texto) da campanha incidia neste tópico em particular.

Devo dizer que não fiquei fascinado com os resultados, e embora hajam muitas variantes que podem e têm impacto numa campanha, também para não limitar os meus resultados, criei 3 anúncios diferentes e testei-os em simultâneo.

Um dos anúncios teve poucas impressões, pois esteve menos tempo online devido a alterações e revisões. Os outros 2 anúncios tiveram uma visibilidade muito interessante – cerca de 56.000 e 46.000 impressões – o que resultou num CPM muito bom (CPM = custo por mil impressões), dado o target em questão – $0,15 e $0,18.

campanha facebook anuncios

No que diz respeito ao CPC (custo por clique), já as coisas não são assim tão interessantes, pois, mesmo tratando-se de um target com muita procura, um CPC final de $0,68 já não é uma pérola.

Curiosamente, o Facebook ainda me sugeria um CPC mais alto – entre $1,11 e $1,61 – o que eu achei absurdo, mas considerando o target ser muito concorrido, poderá fazer algum sentido.

campanha facebook settings

O CTR (Click Through Rate ou taxa de cliques) não foi nada de assinalável (0,024%) e poderia ainda ser melhorado, mas para um teste, e comparando com algumas experiências que tenho visto, também não foi nada mau.

É claro que, as campanhas podem ter os mais variados fins, e creio que, o seu desempenho, dependerá muito de todos os factores relacionados com a comunicação, tal com em qualquer outro meio, mas muito especialmente, se esta for bem dirigida a um target específico que, teoricamente, tenha uma boa aderência ao produto ou serviço em questão.

Outro aspecto que me parece importante, embora não o tenha testado (ainda), é o facto da campanha apontar para dentro ou fora do Facebook. Com isto quero dizer que, creio ser uma excelente forma de, por exemplo, angariar fãs para uma página específica.

Deste teste que fiz, achei as condições do Facebook bem melhores que as do Google Adwords em termos de CPC, pois o mercado do emagrecimento/perda de peso é só dos mais concorridos nos EUA, mas ainda assim, não me parece uma galinha de ovos de ouro.

No entanto, é importante referir que esta campanha destinou-se a um target nos EUA, não de Portugal ou Brasil, pelo que nesses mercados, pode ter desempenhos mais interessantes, devido a não ser um mercado tão saturado como o americano.

Você já experimentou anunciar no Facebook?

Como foram os seus resultados?

Google Baniu o Seu Próprio Site!

Parece uma história mal contada ou uma anedota, mas não, é mesmo verdade!

O Google baniu o seu próprio site dos resultados das pesquisas devido à utilização de uma técnica considerada Black Hat, o cloaking.

O que é cloaking?

Segundo as próprias guidelines do Google, cloaking refere-se à prática de apresentação de conteúdos ou url’s diferentes aos utilizadores e aos motores de busca. Isto é, consoante o site está a ser visitado por um utilizador humano ou por um bot de um motor de busca, o site apresentar conteúdos ou páginas diferentes.

Por incrível que possa parecer, o Google baniu algumas das suas páginas do help center do Google Adwords.

Uma pessoa do site Search Engine Land, onde foi publicada esta notícia, questionou um representante do Google sobre esta situação, e eis a resposta:

“I can confirm that some Google support pages were inadvertently showing different content to the Google crawler than to users. This error has since been fixed. We will investigate how this happened and make sure that we take appropriate action.”

Infelizmente, o Google vem mostrando que, não só tem dificuldade em gerir muitas situações, como não se digna a cumprir as suas próprias regras, tanto no que respeita ao SEO, como no que diz respeito à praticas relacionadas com os seus regulamentos e à forma de tratar os utilizadores.

Para mim, isto apenas vem provar o excesso de automatismos que o Google quer implemtar, bem como a manifesta falta de capacidade de gerir situações que não sejam o resultado de práticas menos aconselhadas.

Como dizia o ilustre Fernando Pessa:

E esta, hein?

Quota de Mercado do Google

Quota de Mercado do Google no Mundo

É curioso ver a quota de mercado do Google nos vários países, pois fica-se com uma ideia de como o Google está posicionado nas diferentes culturas e continentes.

Existem alguns dados curiosos nesta análise que vale a pena ver e ficar a conhecer.

Quota de Mercado do Google

Fonte: Search Engine Feng Shui

Um dos aspectos que me saltou mais à vista foi o facto do Google ter uma quota de mercado mais baixa onde ele é originário (Estados Unidos). Aí tem apenas cerca de 60%, o que reflecte a importância que os seus concorrentes (Yahoo e Bing) continuam a ter neste mercado.

Outro aspecto curioso é o facto da penetração na América do Sul ser apenas de 60% (mais ou menos), pois são mercados que importam muitos aspectos culturais dos Estados Unidos.

Já não me espanta tanto a ainda mais baixa penetração em mercados da Ásia, pois são mercados mais fechados ao Ocidente, com uma nota especial para a Coreia do Sul, onde a penetração do Google é apenas de 7,3%.

Quanto à China, depois de tanta polémica, ainda consegue cerca de 20%, sendo que parece que chegaram novamente a acordo e que o Google vai reabrir ou já reabriu no mercado chinês. parece-me um daqueles acordos “por debaixo da mesa”…

De notar também a altíssima quota de mercado que o Google tem na Europa, com países como a Eslováquia com uma quota de 99%.

Portugal não foi contemplado nesta análise, mas eu diria que a quota de mercado do Google em Portugal deverá andar muito próxima da quota em Espanha (94%).

Seja como for, este mapa sempre nos permite ter uma melhor noção da presença do gigante Google nos vários mercados.

Ficou surpreendido com algum destes dados?

Como Fidelizar os Seus Clientes – Plano de Marketing Digital

Para concluirmos o Plano de Marketing Digital, não o poderíamos fazer sem levar em consideração a fidelização dos clientes já “em carteira”.

Saber fidelizar os seus clientes ou subscritores, é um aspecto fundamental para continuar o seu crescimento e garantir a evolução positiva do seu site e do seu negócio.

Segundo a lógica que estabeleci nos artigos anteriores, em que comecei por definir os objectivos do Plano de Marketing Digital, depois analisar o nicho de mercado em questão, consequentemente é absolutamente fundamental analisar a sua concorrência, de forma, a permitir-lhe elaborar uma abordagem capaz de ultrapassar a sua concorrência e ser bem sucedido na captação de novos clientes ou subscritores, consoante o caso, se eu parasse por aqui, seria como morrer na praia (como se costuma dizer).

Mesmo que torne a sua oferta irresistível, nunca se deve limitar apenas à angariação de novos clientes ou subscritores, por diversas razões. Muitas dessas razões, já as abordei neste artigo em que falo sobre como fidelizar clientes.

O importante que se deve reter é que entre outros motivos, um cliente fidelizado, vale muito dinheiro, directa e indirectamente.

Senão vejamos:

  • mais de 80% das pessoas que compram algo na internet pesquisam primeiro (na internet)
    informação sobre esse produto ou serviço (na internet, claro)
  • se a informação que encontrarem na internet sobre esse tópico for favorável, a probabilidade de compra aumenta exponencialmente
  • como é sabido, as pessoas gostam de partilhar experiências (positivas e negativas), e actualmente essa partilha de informação é feita muito na internet
  • se um cliente partilhar pessoalmente uma experiência com os seus amigos, partilha-a com 20 ou 30 pessoas, se o fizer na internet, essa experiência é partilhada com milhares de utilizadores, logo, o impacto desta partilha online é incomparavelmente superior
  • se um cliente seu for alvo de uma experiência negativa, desde que tenha uma razão no seu ponto de vista (claro), e decidir partilhar essa informação na internet, a probabilidade de outros utilizadores que procuram esses serviços ou produtos recorrerem a si é mínima
  • vários estudos revelam que as pessoas acreditam mais no que lêem na internet mesmo que escrito por outros utilizadores que não conhecem pessoalmente, do que na publicidade que vêem na televisão
  • como se os pontos anteriores não fossem suficientes, a aquisição de um cliente novo, custa em média 5 vezes mais que manter um clientes actual

Por este motivos e outros tantos que referi no artigo sobre fidelização de clientes, é fundamental olhar para os seus clientes e subscritores de uma forma diferente.

Os clientes já não são apenas números, embora para mim, nunca tenham sido, mas a realidade é que muitas pessoas e empresas ainda não perceberam algo tão óbvio quanto isso. E expõem-se a perdas de valor considerável porque simplesmente não vêem o que está à frente dos seus olhos.

Em tom de complemento do que já disse sobre este tema, quero acrescentar algumas dicas curtas que eu considero essenciais para manter uma boa relação com os seus clientes e/ou subscritores:

1. Tenha Visão de Futuro

Não pense apenas em fazer números imediatamente. Tenha visão de futuro e saiba semear hoje para colher amanhã. Invista no presente, na relação que pode ter com as pessoas, elas retribuirão de forma natural.

2. Saiba Falar Com os Seus Clientes

Manter contacto com os seus clientes, não significa chatear as pessoas com comunicações fúteis, mas sim, manter um contacto contextualizado com a realidade de cada cliente. Os clientes não são todos iguais, nem têm todos as mesmas necessidades.

3. Não Tente Adivinhar o Que as Pessoas Querem

Esta é clássica, mas a realidade é que muita gente ainda acha que sabe o que as pessoas querem. Não podiam estar mais enganados. De que vale tentar impingir certos produtos ou serviços, quando na realidade, as pessoas procuram coisas diferentes.

Além disso, a internet disponibiliza-lhe ferramentas que pode utilizar com muita facilidade para saber a opinião dos seu clientes sobre um determinado assunto. Recorrer à utilização destas ferramentas é uma abordagem inteligente, pois permite-lhe saber exactamente qual a opinião dos seus clientes, em vez de tentar adivinhar. Veja o exemplo da SurveyMonkey, que utilizei recentemente para colocar algumas questões aos assinantes aqui do Web Marketing PT.

4. Mantenha o Contacto Com os Seus Clientes

Já disse que deve saber falar com os seus clientes, mas deve também manter com eles um contacto frequente – em que a frequência está, naturalmente, dependente de inúmeros factores – e ao nível da internet ainda é mais fácil e acessível. Se até há uns tempos atrás era preciso gastar umas boas centenas ou milhares de euros para comunicar com os seus clientes, agora tudo é muito mais fácil.

Veja o exemplo das ferramentas de email marketing como a Aweber, que é a que eu utilizo aqui no blog, bem como noutros projectos. Por apenas $19 por mês, eu posso comunicar com todas ou algumas pessoas das minhas listas de contactos sempre que quiser ou achar conveniente. Sobre este assunto irei desenvolver outros artigos brevemente.

5. Não Trate os Clientes Como Clientes

Parece um disparate, mas tem lógica.

Se você tratar os seus clientes como meros clientes, eles não sentirão nenhuma lealdade para consigo, tão pouco sentirão que têm algum tipo de relação que não seja uma relação puramente comercial. Se, por outro lado, souber desenvolver uma relação com eles, e os encarar como parceiros, porque na realidade é isso que eles são – seus parceiros de negócio – verá que consegue ter resultados muito melhores.

Mais, se você se colocar no lugar de cliente, que também o será muitas vezes concerteza, verá com maior clareza, que também gosta de ser bem tratado, que tenham consideração por si enquanto indivíduo e que levem em conta a sua opinião, certo? Pois com os seus clientes passa-se exactamente o mesmo.

Todos estes aspectos são fundamentais para que consiga manter um bom relacionamento com os seu clientes ou subscritores, e com isso, receber boas referências, garantir uma posição de preferência em negócios futuros, fazer mais negócios, etc.

Qualquer Plano de Marketing Digital (ou não digital), tem necessariamente de levar em conta estes aspectos para se tornar completo, caso contrário, dificilmente conseguirá maximizar o potencial de negócio, ou até mesmo, manter uma relação mais próxima com os seus assinantes.

Este foi o último artigo da série Plano de Marketing Digital.

Espero que tenha gostado desta série de artigos, e que deixe o seu comentário!