Como Chegar ao Primeiro Lugar no Google

Chegar ao primeiro lugar no Google, é uma prioridade de todos aqueles que têm um site ou blog, pois a quantidade de visitas que se consegue captar de forma gratuita, é bastante superior a qualquer outra posição (em média mais 20%-30% que o 2º lugar).

Desde que se cumpram determinados requisitos, é possível chegar ao primeiro lugar do Google, com maior ou menor dificuldade dependendo do nicho e das keywords escolhidas. No entanto, é importante que invista a sua energia no que é realmente importante.

Um aspeto que deve ter sempre em consideração, é que a internet não é estática, logo, investir tempo e dedicação em SEO para chegar ao primeiro lugar, é um processo contínuo e que deve ser “alimentado com o tempo”, de forma a dar frutos durante mais tempo também.

Como Chegar ao Primeiro Lugar no Google

 

primeiro lugar no google

Não existe uma receita mágica, mas as dicas que publico neste artigo/guia, são as que eu próprio utilizo com muito sucesso. Então, aqui vamos:

1. Saber Escolher as Melhores Keywords ou Palavras-Chave

Saber escolher as melhores keywords, é algo que já falei aqui no Web Marketing, e é um fator sobre o qual reverte grande parte da importância do processo de SEO.

Se investir muito tempo e dedicação com as keywords erradas, mesmo que faça tudo o resto, dificilmente conseguirá chegar aos primeiro lugar no Google para uma pesquisa que seja relevante. Por isso, é absolutamente fundamental, saber escolher as melhores keywords.

Embora existam vários métodos de o fazer, eu já demonstrei aqui, uma forma fácil e ao alcance de qualquer pessoa, mesmo com poucos ou nenhuns conhecimentos de SEO.

2. Utilizar Correctamente as Keywords ou Palavras-Chave no seu Site

Saber escolher as keywords é muito importante, mas igualmente importante, é saber usá-las no seu site com eficácia, de forma a maximizar o potencial de otimização, de forma a conseguir bons rankings.

Já falei aqui sobre como utilizar corretamente as keywords no seu site, e a verdade é que, ainda hoje, veja muita asneira em muitos sites.

Não vou entrar na “discussão” do “Back-Hat vs. White Hat”, porque me parece infrutífero e cada um sabe de si, mas eu recomendo práticas que sejam autorizadas pelo Google e não violem as suas regras. Se você não o fizer, o risco é seu.

Seja como for, faça uma utilização ponderada e inteligente das palavras-chave, de forma a retirar o maior benefício e a potenciar o site ou página para o melhor posicionamento possível. (recomento a leitura do artigo que referi no início deste ponto)

3. Legibilidade Usabilidade e Acessibilidade

Alguns aspetos que, ainda hoje, não recebem a devida atenção da parte de muitos webmasters e bloggers, são a legibilidade, usabilidade e acessibilidade do seu site.

É muito importante que um site disponibilize os seus conteúdos de forma e limpa (sem excessos de publicidade) e com uma navegação simples, que permita ao utilizador chegar onde quer com facilidade.

Embora este fator não seja uma causa direta para chegar ao primeiro lugar, contribuem de forma indireta para ter uma Bounce Rate (ou Taxa de Abandono) baixa. Ora, se a taxa de abandono for baixa, isso é um indicador para o Google, que o utilizador encontrou o que procurava, dando assim mais importância ao seu conteúdo para o termo utilizado na pesquisa.

Por todos estes motivos, é cada vez mais importante, saber cativar os visitantes no seu site.

4. Relevância

À semelhança do ponto anterior, e, tendo em conta que soube escolher as palavras-chave para o tema em questão, outro aspeto a considerar é a relevância desse conteúdo para a pesquisa efetuada.

Ou seja, se otimizar o seu conteúdo para a palavra-chave “ABC”, e depois o conteúdo da sua página incidir mais sobre a palavra-chave “DEF”, isso denotará uma menor relevância entre o termo utilizado na pesquisa e o conteúdo da página.

O mesmo acontecerá se se dedicar apenas a criar títulos de artigos ou páginas que incidam no “Fantástico” para captar a atenção das pessoas, não correspondendo, depois, com conteúdo à altura.

Qualquer um destes aspetos, terá influência no aumento da taxa de abandono, o que, a médio prazo, será prejudicial para si, já que a relevância e correlação entre a palavra-chave utilizada na pesquisa e o seu conteúdo será baixa.

5. Conteúdo de Qualidade É REI

Embora possa já ter lido isto aqui no blog no 3º artigo da série como aumentar as visitas ao seu site, ou em outro site qualquer, a verdade é mesmo esta: o Conteúdo de qualidade é REI!

Criar conteúdo de qualidade, que seja relevante para o tema em questão, é uma excelente forma de conseguir destacar-se dos demais e subir nos rankings, em busca do ambicionado primeiro lugar no Google.

Existem inúmeras vantagens em criar conteúdo de qualidade, das quais eu destaco, o fato de permitir fazer chegar informação relevante às pessoas que a procuram, e, criar uma imagem de autoridade no seu nicho que ganhe o reconhecimento das outras pessoas.

Estes fatores, vão-se refletir no aumento da notoriedade e reconhecimento do seu conteúdo como tendo qualidade, e por isso, irão atribuir-lhe maior valor e relevância para as pesquisas relacionadas.

7. Link Building

Um dos aspetos mais importantes do processo de SEO, é, sem dúvida, o Link Building, ou criação de links que apontem para o sei site ou página.

O link building assenta em 2 vertentes muito importantes:

  • Internal link building (links que apontam para uma certa página dentro do próprio site)
  • External link building (links que apontam para uma certa página a partir de outros sites)

Embora haja um peso maior no segundo fator, o que é natural, o primeiro também é importante, pois se queremos que uma determinada página seja reconhecida como um recurso relavante para um certo tema, também é importante que isso se reflita no nosso próprio site, havendo links relavantes para essa página

No link building, existem muitas formas de conseguir links para o seu site (também chamados de backlinks), e na maior parte dos casos, eles complementam-se, não havendo apenas um que seja decisivo, embora possam ter importâncias e impactos diferentes.

No entanto, o que aconselho é a utilização de vários métodos em conjunto de forma a conseguir implementar uma estratégia de link buiilding de sucesso.

Outro aspeto importante a considerar que já falei aqui no blog é: o que são links follow e links no-follow, e como é que isso poderá interferir no seu processo de otimização.

Por último, mas não menos importante, é que tenha a noção que quanto melhor forem os conteúdos que você criar (veja o ponto anterior), maior será a probabilidade de que sejam outros bloggers e webmasters a criarem links para o seu conteúdo como forma de reconhecimento da sua qualidade e até como forma de recomendação aos seus leitores.

Não se esqueça, que muitos links não é sinónimo de bons links. Para saber mais sobre este tema, leia os artigos que falo neste ponto.

8. Social Media

Não se pode desligar por completo das redes sociais, pois elas são hoje, um aspeto fundamental para divulgar conteúdos, aumentar o alcance da sua comunicação, estabelecer relações com os seus fãs e leitores e aumentar as exposição e visibilidade de um site

Não havendo uma relação direta entre a utilização das redes sociais e a obtenção de bons rankings, a verdade é que à data de hoje, já existem páginas das redes sociais que estão incluídas nos resultados de pesquisas que são efetuados no Google.

Não sendo sinónimo que isso afetará diretamente os rankings, não me parece que seja uma atitude inteligente, desperdiçar todo o potencial das redes sociais no processo de divulgação e otimização de um site.

As redes sociais, não só lhe permitem aumentar o alcance e visibilidade da sua comunicação, mas consequentemente, ao chegar a mais pessoas, maior será também a probabilidade, de haver quem crie links para o seu site ou página, seja dentro ou fora da rede, o que irá contribuir para aumentar o número de links que apontam para esse site ou página.

9. Uptime e Velocidade do Site

Não sendo de espantar, muitas pessoas ainda optam pelo alojamento de sites barato indiscriminavelmente, sem terem o mínimo de cuidado em analisar outros aspetos muito importantes, como é o uptime (tempo em que o site está acessível).

Não é de admirar, de todo, que depois muitos se queixem, que o site está offline por longos períodos de tempo, e de forma recorrente.

Este fator, embora não esteja relacionado diretamente com a obtenção de um bom posicionamento nas pesquisas, poderá contribuir de forma negativa, se acontecer frequentemente, pois o Google ao apresentar um resultado que se encontra offline muitas vezes, não estará a prestar um bom serviço ao utilizador, logo será um aspeto que deverá considerar na escolha do alojamento do seu site, além do preço.

O mesmo acontece com a velocidade do seu site.

Utilizar sites com base em tecnologias como o Flash, é algo que o pode prejudicar bastante, tanto em termos de SEO, já que dificulta a leitura do site por parte dos motores de busca, como tende a criar um site que é lento no carregamento.

Não é apenas o Flash que pode causar lentidão no carregamento, existem muitos outros aspetos, como a não otimização das imagens utilizadas no site, utilização excessiva de publicidade, páginas com excesso de conteúdos, etc.

Recomendo a leitura do artigo que escrevi recentemente sobre como otimizar as imagens para a web.

10. Website Reach

O website reach ou alcance de um site, tal como outros aspetos que abordei, não é algo com influência direta nos rankings, mas em conjunto com outros aspetos, poderá ter influência e ajudá-lo a conseguir chegar ao primeiro lugar no Google, até porque está intimamente relacionado com outros aspetos que aqui falei.

O alcance de um site é medido pela cobertura que este consegue obter na web, isto é, com base num conjunto de indicadores, qual será a cobertura que o site consegue atingir em termos de audiência.

Neste fator, são conjugados aspetos como o número e qualidade de links que apontam para o site em questão, a sua presença e utilização das redes sociais, a utilização de outras plataformas para divulgação de conteúdos, como é o caso do YouTube para o vídeo e do SlideShare para apresentações de PowerPoint, entre outros.

Conclusão

Embora alguns dos aspetos que falo neste artigo não sejam sinónimo de contribuição direta para chegar ao primeiro lugar no Google, eles são, na minha opinião, um suporte muito importante para o conseguir e para o manter.

A relação que existem entre muitos deles, é de tal forma, próxima, que muitas vezes, torna-se difícil distinguir onde começa e acaba a contribuição de cada um deles para a obtenção de bons rankings.

Não se esqueça que a internet, como já disse atrás, é um meio volátil e está em constante mutação, pelo que o processo que chegar ao primeiro lugar no Google, é um processo contínuo, até porque, depois de lá chegar, o mais importante, será conseguir manter-se lá.

  • João, o LinkWithin funciona como Internal link building?

    Water

  • @0b9b9cf5754f989a07511d887b0c6fb3:disqus 
    Olá Water,
    Com a função de SEO não, apenas como apoio à navegação e como forma de aumentar o tempo da visita e as páginas visitadas.

  • Obrigado por responder.

    João veja isso pois achei seu sitio demorado para abrir e minha conexão é boa.
    Total loading time: 10 seconds
    Total main page: 1423.9 KB

    Water

  • Obrigado Water.
    Eu sei, tenho estado a fazer alguns testes com o blog nestas últimas 3 semanas, e, surpreendentemente, os resultados não estão a ser o que eu esperava…
    Vou continuar para depois partilhar aqui os resultados e dar algumas dicas úteis para melhorar a velocidade de carregamento de sites…

  • Pedro Couto

    Olá caro JR, tenho seguido atentamente o seu site. Em relação a isto noto que as pesquisas do Google são muito variadas: variam com diferentes utilizadores, com o Google.pt ou .com e mesmo sem nenhum login variam com a utilização que se faz do SE. Tenho obtido alguns resultado mais genéricos com a limpeza de cache completa do browser, mas faço notar que numa pesquisa interna que fiz com colegas com uma dada palavra passe os resultados são mesmo muito variáveis. Como controlar minimamente estes parâmetros? 

  • @283d17a300598ed81b6d98c055a80f7e:disqus 

    Olá Pedro,
    Sim, de fato as mesmas pesquisas têm (ou podem ter) resultados diferentes em diferentes locais Google. Isto é, os resultados do google.pt são direccionados para o target portugues, já os do .com para um target mais genérico, mesmo a pesquisa sendo efetuada através de um IP em portugal.
    Mas por isso mesmo é que é fundamental, ter primeiramente definido, onde queremos estar e qual o mercado principal onde queremos estar presentes.
    Já quando estamos logados na conta Google, os resultados são personalizados para nós próprios e para o nosso perfil.
    No entanto, devemos ter sempre em atenção que a grande maior parte das pesquisas que são feitas no Google, não ocorrem com a pessoa logada na sua conta Google, por isso devemos sempre fazer o mesmo para controlar os resultados.

    Existem outros aspetos que podem influenciar pequenas variações nos resultados, pois a internet está sempre em evolução, assim como os sites e os rankings, mas com base na minah experiência, essas variações são mesmo pequenas.

  • Pedro Couto

    Quando me referia a controlar, seria saber em que resultado estamos com determinada palavra e que parâmetros controlam isso. Já agora partilho a conclusão a que cheguei e corrija p.f. se achar alguma lacuna: o Google determina o que nós achamos importante a partir das nossas pesquisas já efectuadas. Pondo de parte questões de violação de privacidade a ideia é que para estabelecer o nosso ranking e ver a sua evoluçãoé necessário não só estar sem o login feito mas também com a cache bem limpa. Assim sim, temos uma pesquisa “independente” e é a partir daí que podemos fazer o tal controlo. Caso contrário, podemos aos nossos olhos estar bem posicionados mas quando limpamos a cache que tem pesquisas relacionadas com o “nosso” site, o resultado é bem diferente. Basta abrir um browser que pouco utilizemos e nota-se logo.

  • Sim Pedro, é exatamente isso que você disse.
    É claro que, se estivermos a falar de muitas páginas e muitas keywords, a forma mais fácil de o fazer é através de um software ou recurso online especializado.

  • joao machado

    Backlinking em PR sites altos…

  • Não entrei nesse detalhe neste artigo, mas noutros que tem o link no artigo, já falei sobre esse tema.
    Sem dúvida que a reputação dos sites que linkam para nós também contribuem de forma positiva. Tanto mais, quanto a sua reputação e o PR é um desses indicadores, sem dúvida!

  • É muito importante melhorar as posições nos motores de busca, algumas empresas ainda não estão familiarizadas com esta necessidade, ser o primeiro lugar é melhor que ser o segundo e assim sucessivamente, gostei muito do artigo e continuação de bom trabalho.

  • @twitter-140524870:disqus 

    Obrigado Bruno!
    É muito verdade o que disseste sobre as empresas.Muito mais que o que eu gostaria, para mal de todos…Mas temos de ser pacientes, educar e esperar que consigamos passar os conceitos importantes.

  • ADM clickakiagora

    Boa noite, eu adotei boa parte desses conceitos, e realmente da bastante diferença, meu site agora esta em media 60% a mais de visitas, e com o doblo de visitas vindas pelo google, obrigado
    http://ClickAkiagora.blogspot.com

  • De nada. 
    Obrigado pelo comentário!

  • Pingback: Porque é Que Você Deve Ter Um Exact Match Domain (EMD) | Web Marketing PT()