Google Lança Google Zeitgeist 2012!

Como tem vindo a fazer todos os anos, a Google publicou o Google Zeitgeist 2012, com os resultados das pesquisas realizadas durante este ano.

Em 2012, foram realizadas cerca de 1.2 triliões de pesquisas no Google em 146 línguas diferentes, o que diz bem do crescimento do Google como motor de busca de eleição em muitos países.

google-zeitgeist-2012

Para quem não conhece ou não sabe o que é o Google Zeitgeist, aconselho ver este curto vídeo. E mesmo para quem conhece, porque o vídeo está interessante.

Para qualquer análise que venha a fazer dos termos mais pesquisados em 2012 para Portugal ou Brasil, poderá sempre analisar por categorias, tal como em anos anteriores, o que torna os resultados mais interessantes.

zeitgeis-pesquisas-mais-populares

Continuo a achar que seria interessante “afinar” algumas categorias, mas não sei até que ponto o Google teria interesse em revelar informação com mais detalhe. Ainda assim, consultando o Google Zeitgeist 2012 encontra-se informação interessante.

O que acha dos resultados?

Viu alguma surpresa ou algo que ache curioso?

Google Lança Webmaster Academy

A Google lançou recentemente a Google Webmaster Academy, um local de aprendizagem especialmente destinado a principiantes, mas não só para estes.
O acesso à Webmaster Academy é gratuito e não requer qualquer registo. No entanto, se estiver ligado à sua conta do Google, poderá acompanhar o seu progresso no processo de aprendizagem dos conteúdos da academia.

Já existem vários conteúdos publicados e estão organizados pelas seguintes temáticas:

  • Google & You
  • Webmaster Tools
  • Businesses
webmaster-academy

Para que possa ter uma ideia do tipo de conteúdos, estes são os temas abordados no Módulo Google & You:

  • Como funciona o Google
  • Certifique-se que o Google tem conhecimento do seu site
  • Influencie o desempenho do seu site nas pesquisas
  • Crie bom conteúdo
  • Imagens e Vídeo
  • Ligue-se ao Google+
  • Outros recursos

Embora os conteúdos não sejam ainda muitos, e especialmente destinados a pessoas que não tenham ainda muitos conhecimentos nestas matérias, não deixa de ser interessante fazer uma visita e avaliar por si mesmo. Nunca se sabe quando se aprende algo novo e útil. Veja aqui: Webmaster Academy.

Já conhecia? Achou útil?

Internet Semântica: Google Apresenta o Knowledge Graph

Com o intuito de mudar a forma como o Google nos devolve os resultados de uma pesquisa, a Google apresenta-nos o Knowledge Graph, um passo muito importante para aquilo que se prevê com sendo o futuro da internet no que respeita às pesquisas; a internet semântica.

O Knowledge Graph considera o objeto da pesquisa e estabelece correlações entre vários objetos de várias naturezas que estejam relacionados com o termo que é objeto da pesquisa, de forma a nos serem devolvidos vários tipos de resultados com o intuito de prestar um melhor serviço ao utilizador.

A ideia será tentar replicar no Google, a forma como nós humanos estabelecemos relações entre objetos e fazer refletir essas relações nos resultados das pesquisas que efetuamos.

Este vídeo ajuda a perceber melhor a abordagem da Google à internet semântica, que, embora não seja novidade, está a ser lançada agora nos Estados Unidos e será depois alargada aos restantes países.

Esta abordagem terá certamente, grandes impactos ao nível de SEO, embora ainda seja muito prematuro podermos falar sobre isso. Será algo que, futuramente,  irá “fazer correr muita tinta”.

O que acha que esta abordagem vai trazer de novo?

A Google Lançou o Google Think Insights

A Google lançou recentemente o Google Think Insights, um conjunto de aplicações e informação, que na minha primeira análise, parece ser muito útil para quem quer estar atualizado em temas tão interessantes como comportamentos nas pesquisas até comportamentos nas compras online.

O Google Think Insights disponibiliza informação em tempo real (o que é excelente) e através de 5 ferramentas:

  • Latest Insights – Aqui pode encontrar um resumo da última informação e destaque no próprio dia.
  • Research Library – Um aquivo repleto de estudos, vídeos e info-gráficos sobre vários tópicos
  • Planning Tools – Um conjunto de ferramentas que lhe permitem aceder a muita informação em tempo real, em várias áreas; pesquisas, mobile, entre outras.
  • Facts & Stats – Como diz o próprio nome, aqui encontra fatos e estatísticas diversos.
  • Thinking Ahead – Esta ferramenta também é muito interessante pois aborda as novas tendências a que a Google está prestar atenção e que podem vir a moldar o futuro.

Pode consultar aqui o Google Think Insights. Vane a pena ver!

Já conhecia? O que acha destas aplicações?

O Melhor do Web Marketing em 2011: Email Marketing e Google

Este é o último artigo da série de compilações dos melhores artigos de 2011, e focam 2 temas muito pertinentes e atuais; Email Marketing e Google.

Como já disse várias, com tantas mudanças ao nível do algoritmo do Google (Google Panda), 2011 foi um ano em que muito mudou.

O melhor de 2011: Email Marketing e Google

Abordei também, creio que o primeiro artigo com dicas para melhorar as campanhas de Adwords aqui no blog e parece-me que teve boa aceitação, pelo que poderá ser um tema a abordar no futuro.

O Email Marketing foi um dos principais focos do workshop que fiz recentemente, no Creative Learning Lisbon 2011, não fosse este um dos tópicos onde há muito para a aprender em termos de boas práticas e enquadramento num plano de marketing digital.

Email Marketing

Google

 

Espero que goste desta compilação de artigos! Eu gostei de os reunir para si.

Se tiver alguma sugestão de algum tema que queira ver abordado aqui no Web Marketing, deixe um comentário! São sempre bem-vindos!

O Melhor do Web Marketing em 2011: Social Media

O ano de 2011 foi um ano cheio de novidades e com muitas evoluções ao nível das redes sociais, com maior foco para o Facebook e para o Google+.

Mesmo com o aparecimento do Google+, o Facebook ainda domina nos mercados português e brasileiro, bem como noutros.

Hoje trago-vos uma compilação de alguns dos melhores artigos sobre Redes Sociais publicados no Web Marketing em 2010.

O Melhor de 2011

 

Espero que gostem e aproveitem para ler algum ou alguns que vos possam ter escapado.

Mais uma vez, foi com muito gosto que fiz esta compilação para vocês!

Para 2012, prevejo algumas novidades interessantes, mas para já ainda é cedo para me adiantar 🙂

Se houver algum tópico em particular que procurem mais informação, deixem um comentário!

 

Atualização: Google Panda, Conteúdo Duplicado e Plágio

Neste momento, você já tem uma ideia clara sobre o que é Google Panda e o que ele representa ou pode representar para os seus rankings.

Também já tem algumas dicas importantes sobre como sobreviver ao Google Panda e o que tem de fazer para combater o plágio, que gera a duplicação de conteúdo, o que, por sua vez, é um dos vários focos do Google Panda, mas neste vídeo são dadas indicações claras de quais devem ser as prioridades e o caminho a seguir.

Ao ter conhecimento de uma explicação dada em vídeo por Matt Cutts do Google a este respeito, não quis deixar de o partilhar com os leitores do Web Marketing, pois, no seguimento das dicas que já transmiti aqui no blog, penso que é uma complemento valioso, e altamente aconselhável para melhor perceber como ultrapassar estes problemas, ou até para evitá-los.

É um fato inegável que, embora hajam algumas medidas que possamos tomar para desincentivar o plágio dos nossos conteúdos, não é possível impedi-lo de forma absoluta, logo, torna-se necessário, estarmos atentos às atualizações que são feitas ao algoritmo do Google, e como é que estas nos podem beneficiar.

Pessoalmente, fiquei satisfeito de saber que o Google tem uma equipa de engenheiros a trabalhar continuamente no tema, de forma a minimizar o impacto que a duplicação de conteúdos poderá ter nos ranings dos criadores originais de conteúdo, e em simultâneo, a eliminar os “rapinadores” de conteúdos dos resultados das pesquisas.

Como Criar Uma Página no Google+ > Passo a Passo

Há pouco tempo falei aqui no Web Marketing sobre o Google+ ter finalmente liberado as páginas para empresas, marcas ou sites, à semelhança das páginas que já existem no Facebook, e que já todos conhecemos melhor.

Por isso, resolvi agora publicar um guia prático para criação de páginas no Google+, com instruções passo a passo.

Para quem ainda não percebeu o potencial do Google+, é bom que perceba rapidamente, pois é um canal de comunicação e de divulgação que simplesmente não deve ser ignorado.

Posto isto, vamos então começar o guia.

1. URL de Criação de Páginas no Google+

À semelhança do que acontece no Facebook, o Google+ também tem um endereço específico para que se possa proceder à criação de páginas.

O primeiro passo, portanto, é fazer o login na sua conta do Google/Google+.

Depois basta ir a: http://plus.google.com/pages/create para iniciar o processo de criação da sua página no Google+.

[sws_green_box box_size="600"]Dica

Também pode encontrar este endereço no rodapé da página do Google+.[/sws_green_box]

2. Categoria da Página

Nesta página, deve escolher a categoria em que melhor se enquadra a sua empresa, marca ou site, consoante o caso.

  • Empresa ou Local Próximo – indicado para hotéis, restaurantes, empresas e serviços locais.
  • Produto ou Marca – é para isso mesmo, um produto ou uma marca.
  • Empresa, Instituição ou Entidade – Também bastante óbvio.
  • Artes, Entretenimento ou Desporto – Para filmes, TV, livros, desportos, programas, etc.
  • Outro – Basicamente esta destina-se a tudo o resto que não se enquadra nas outras categorias.

3. Nome e Atividade da Página

Após escolher a categoria a que corresponde o seu projeto, deverá escolher o nome para a sua página e indicar o endereço do site, caso tenha.

Se optar por negócio local, deve indicar o nº de telefone.

Qualquer outra categoria, excepto Outros, requer ainda que escolha uma categoria dentro da principal, que servirá para qualificar o ramo de atividade a que diz respeito.

Na opção de visibilidade da sua página, deixe ficar “Qualquer utilizador do Google+”.

Tem de aceitar os termos (naturalmente) e clicar em “Criar”.

4. Descrição e Imagem da Página

Está na altura de inserir uma breve descrição da sua página, bem como uma imagem de perfil.

[sws_green_box box_size="600"]Dica

Para que a imagem fique com bom aspeto na sua página, crie uma imagem com as seguintes dimensões: 202 pixeis de largura, por 192 pixeis de altura.[/sws_green_box]

De seguida, clique em “Terminar” para concluir a criação da sua página.

5. Ajustes Adicionais

A partir daqui a página já está criada, mas ainda pode dar mais uns retoques para que fique mais completa, o que desde logo, eu aconselho vivamente, por vários motivos que falarei noutro artigo, e por outro lado, também para ficar com melhor aspeto.

De qualquer forma, é aconselhável enriquecer a sua nova página no Google+ com alguma informação importante (mais ou menos, consoante o caso), como é a secção Sobre, Informação de Contato e o site.

6. Imagens de Topo

Pode ainda adicionar 5 imagens ao topo da sua página do Google+, dando-lhe assim um visual mais enriquecido e atraente.

Pode utilizar este espaço para colocar fotos ilustrativas do produto ou serviço, ou para passar uma ou mais mensagens, como é o caso da recém criada página do Web Marketing PT no Google+.

[sws_green_box box_size="600"]Dica

Para que as imagens fiquem com bom aspeto na página, deverá criar imagens em forma de quadrado, com as seguinte dimensões: 126px x 126px.[/sws_green_box]

7. Editor de Imagens

De referir ainda, que o Google+ dispões de um editor de imagens que lhe dá a possibilidade de manipular a qualidade e apresentação da sua imagem, controlando a luminosidade, cores, contraste, dimensões, entre outros.

É sem dúvida muito útil para dar aquele toque final às imagens, especialmente se for colocar fotografias.

Eu próprio testei e usei o editor de imagens do Google+ para dar uns toques finais, não às imagens da página do Web Marketing, pois nessas usei imagens criadas no Photoshop, mas à foto da minha página de perfil, e devo dizer que fique surpreendido pela qualidade e utilidade desta ferramenta.

Chegámos assim ao fim do guia prático para Criação de Páginas no Google+!

Espero que tenha gostado e que este guia o ajude a criar a sua página, pois como já disse, não se deve menosprezar o Google+, só porque hoje é o Facebook que reina. A verdade é que, a volatilidade da internet é de tal forma, que “amanhã” pode mudar tudo, e quem já lá estiver terá certamente uma vantagem sobre os restantes.

Aproveito para deixar o convite para seguir a (recém criada) página do Web Marketing PT no Google+.

E você, já criou a sua página no Google+?

Deixe o seu comentário sobre o que achou deste guia!

Google+ Permite Agora Criar Páginas Para Sites, Marcas ou Empresas

O Google+ lançou finalmente a criação de páginas para empresas (e não só), permitindo assim que os sites, marcas e empresas se possam lançar nesta rede social, no formato correto e com a imagem em evidência, o que é sempre importante em termos de branding, e mais algumas novidades.

paginas google+

Esta é sem dúvida uma boa notícia para todos aqueles que queriam colocar os seu negócios no G+, e até agora, ou ainda não o tinham feito por falta de enquadramento, ou estavam a utilizar perfis individuais para o fazer, o que não é muito aconselhável.

De qualquer forma, essa lacuna está ultrapassada, e agora poderá colocar o seu negócio ou marco no G+, criando a sua própria página, à semelhança do que acontece no Facebook.

Não querendo ir pelo caminho do Google vs. Facebook, porque, ao contrário de alguns “Profs. Caramba” que se vêem por aí, eu não me dedico à futurologia, não deixa de ser mais um canal de comunicação que se abre para os sites, marcas e empresas.

Além de que, pela sua natureza e alcance, não é um canal “qualquer”, motivo pelo qual, merece a sua atenção.

Dependendo dos seus objetivos, poderá fazer mais sentido utilizar as redes sociais num ou noutr sentido, mas uma coisa que é comum a todas as utilizações, é o aumento do alcance da sua mensagem, da visibilidade do seu site ou marca e o do número de pessoas com as quais consegue estabelecer relações e fidelizar.

Uma funcionalidade interessante a considerar como uma grande vantagem que a Google implementou no seu motor de busca uma nova, é o Direct Connect.

Isto é uma pequena opção que permite a qualquer utilizador aceder de forma fácil e direta, à pagina de uma empresa ou marca no G+, bastando para isso escrever “+Nome da empresa”. Por exemplo, escrevendo no Google “+Toyota”, é-nos automaticamente apresentado a página da Toyota no G+.

pesquisa paginas google+

Não sendo nada “do outro mundo”, não deixa de ser relevante e (mais) uma pequena coisa na balança a favor do G+ na sua tentativa de diferenciação do Facebook.

Concluindo, à semelhança do que acontece no Facebook, penso que é fundamental os negócios estarem presentes onde as pessoas estão – já disse isto inúmeras vezes – e o G+ é sem dúvida um veículo de comunicação a considerar adicionar ao seu arsenal.

Já tem o seu site ou empresa no Google+?

Como Sobreviver ao Google Panda

Há tempos expliquei o que é o Google Panda, bem como os seus impactos na vida de um site. Agora, e porque um cliente viu o seu site banido das SERP’s do Google, pensei que seria útil partilhar com todos os leitores, o que deverá fazer para ultrapassar este problema e voltar progressivamente a recuperar os seus rankings.

Antes de mais, se procura uma solução milagrosa que resolva o problema em 5 minutos ou em apenas 3 cliques, esqueça porque não existe!

Google Panda

Sobre as alterações do algoritmo que estão na base do Google Panda, o Google publicou um artigo no seu blog, em que coloca uma série de questões que permitem aos webmasters e bloggers, verificarem se o seu site ou blog está imune ao Panda.

Este é um excerto desse artigo, onde constam as perguntas que podem ser verificadas para tentar entender o que poderá ter causado (ou vir a causar) o problema de ser banido dos resultados do Google.

Of course, we aren’t disclosing the actual ranking signals used in our algorithms because we don’t want folks to game our search results; but if you want to step into Google’s mindset, the questions below provide some guidance on how we’ve been looking at the issue:

  • Would you trust the information presented in this article?
  • Is this article written by an expert or enthusiast who knows the topic well, or is it more shallow in nature?
  • Does the site have duplicate, overlapping, or redundant articles on the same or similar topics with slightly different keyword variations?
  • Would you be comfortable giving your credit card information to this site?
  • Does this article have spelling, stylistic, or factual errors?
  • Are the topics driven by genuine interests of readers of the site, or does the site generate content by attempting to guess what might rank well in search engines?
  • Does the article provide original content or information, original reporting, original research, or original analysis?
  • Does the page provide substantial value when compared to other pages in search results?
  • How much quality control is done on content?
  • Does the article describe both sides of a story?
  • Is the site a recognized authority on its topic?
  • Is the content mass-produced by or outsourced to a large number of creators, or spread across a large network of sites, so that individual pages or sites don’t get as much attention or care?
  • Was the article edited well, or does it appear sloppy or hastily produced?
  • For a health related query, would you trust information from this site?
  • Would you recognize this site as an authoritative source when mentioned by name?
  • Does this article provide a complete or comprehensive description of the topic?
  • Does this article contain insightful analysis or interesting information that is beyond obvious?
  • Is this the sort of page you’d want to bookmark, share with a friend, or recommend?
  • Does this article have an excessive amount of ads that distract from or interfere with the main content?
  • Would you expect to see this article in a printed magazine, encyclopedia or book?
  • Are the articles short, unsubstantial, or otherwise lacking in helpful specifics?
  • Are the pages produced with great care and attention to detail vs. less attention to detail?
  • Would users complain when they see pages from this site?

Essencialmente, o Google Panda assume-se como uma alteração que permite ao Google separar “o trigo do joio”, ou seja, os sites (que o Google considera) com qualidade, dos restantes.

Embora seja discutível, se os critérios utilizados são os corretos ou não, não existe nem margem de manobra, nem capacidade de negociação, pois o Panda veio para ficar.

Se tem seguido sempre as Guidelines do Google, então, à partida, não terá nada para se preocupar. Digo à partida, porque não é uma ciência exata.

Seja como for, se o seu site for apanhado nas malhas do Panda, aqui ficam algumas dicas para ultrapassar o problema e retornar o seu site à sua vida “normal”.

1. Publicidade

O Panda penaliza os sites com excesso de publicidade, pelo que é conveniente rever este aspeto no seu site.

Se utiliza o Adsense, tenha atenção que o número máximo de blocos de Adsense por página são 3.

Nos comentários recentes noutro artigo, um deles era de um leitor que foi “caçado” pelo panda. Quando verifiquei o seu site, vi que haviam páginas que tinham 4 e até 5 blocos de Adsense.

Escusado será dizer, que isso é MUITO prejudicial.

2. Conteúdo

Não sendo novidade o que eu defendo, pois já o disse milhões de vezes, mas, criar conteúdo original e de qualidade, deve ser a sua prioridade nº1, ou pelo menos algures no topo das prioridades.

Não só é benéfico em muitas outras vertentes, mas também aqui, ajuda bastante a que o seu site seja visto pelo Google, com bons olhos.

3. Usabilidade

A usabilidade é algo que também já falei aqui imensas vezes. Veja os artigos: Como Aumentar a Taxa de Conversão Dos Seus Visitantes, Design e Usabilidade, como chegar ao primeiro lugar no Google e De 5.000 a 20.000 Visitas/Mês Em Menos de 2 Meses.

Neles, o que digo repetidamente, é que a usabilidade é algo muito importante, não só em termos da forma como o seu site é utilizado pelos seus visitantes, mas também como aspeto importante para melhorar os seus rankings e captar mais tráfego.

4. Rapidez do Site

Outro aspeto que já falei aqui várias vezes, é a importância da rapidez do seu site.

Não fosse este aspeto importante já por si, mas além disso tornou-se num dos muitos analisados pelo Google, na classificação qualitativa dos sites para efeitos de rankings e não só.

Eu próprio tenho andado a fazer testes aqui no Web Marketing, há mais de 2 meses, mas ainda não publiquei os resultados porque não foram conclusivos. De qualquer forma, é muito possível, que não sendo conclusivos, os partilhe com os leitores para estes verem o que eu fiz e poderem replicar nos seus sites.

Entretanto, veja aqui algumas ferramentas para medir a velocidade do site.

Conclusão

Embora possam haver muitos aspetos em análise, como se pode ver pelas perguntas enunciadas pelo Google, parece-me mais ou menos linear, que se seguir as guidelines do Google no que respeita à criação de sites de qualidade, isso não será um problema.

Se o seu site for “caçado” por algum motivo, reveja todos estes aspetos com atenção. Existem muitas dicas e informação útil e prática aqui no Web Marketing, que pode utilizar desde logo para melhorar o seu site.

Quanto à recuperação, seja paciente!

Ela não acontecerá no espaço de dias depois de alterar o seu site, mas acontecerá concerteza. Seja paciente e empenhado em cumprir todas as regras, que de forma natural, recuperará os rankings nas SERP’s do Google, mesmo que isso represente algum trabalho adicional, verá que será compensado mais tarde.

O que tenho notado, é que algumas pessoas, ou por desleixo, ou por desconhecimento, não têm vindo a cumprir as regras estabelecidas pelo Google.

Normalmente não é daquelas coisas que as pessoas se preocupem quando estão a criar ou manter um site, no entanto, e uma vez que o Google é (neste momento e até ver) o rei dos motores de busca, é de todo conveniente, que este tipo de verificação passe a constar da sua checklist quando estiver a verificar, criar ou manter o seu site.

Como Personalizar o seu URL do Google+

Personalizar o URL da sua página nas redes sociais é sempre uma boa aposta, não só em termos de branding, mas também em termos de recordação espontânea, pois é sempre mais fácil para alguém que o procura numa rede social identificar um url como http://facebook.com/webmarketingpt do que um como http://www.facebook.com/profile.php?id=135592569791605.

Agora também é possível personalizar o seu url do Google+, garantindo assim que consegue obter o nome que quer/precisa e manter maior consistência entre todas as redes onde participa.

O Google+, ao contrário do Facebook e do Twitter, (veja aqui como personalizar o seu url do Facebook) não oferece essa possibilidade dentro da própria aplicação, alegadamente devido a questões de segurança e privacidade, já que muitas das contas do Google+ estão ligadas a contas de Gmail e isso poderia colocar em risco a privacidade e segurança dessas contas.

Então, através do Gplus, que é um recurso gratuito bastante útil e fácil de utilizar, é possível atingir o objetivo.

Para usar o Gplus, basta colocar o seu id do Google+ que poderá ver no url quando estiver a visualizar o seu perfil, e escolher o seu nick, ou seja o que aparecerá no url após o domínio gplus.to.

No meu caso, ficou assim: http://gplus.to/webmarketingpt

Não deixe de reservar o seu url no Gplus antes que alguém o faça no seu lugar!

É muito fácil utilizar a aplicação, mas se tiver dúvidas deixe um comentário!

Ainda não está no Google+?

Se precisar de convite, diga-me.

Dicas E Convites Google+

O Google+, embora ainda no seu início, está a ter um sucesso notável, tendo conseguido mais de 10 milhões de utilizadores em apenas 15 dias, e funcionando apenas por convite.

Embora ainda seja prematuro fazer previsões, parece-me mais ou menos claro que o Facebook vai, no mínimo, abrandar o crescimento que vinha a ter até agora, embora mantenha uma posição algo confortável como líder das redes sociais com cerca de 750 milhões de utilizadores.

Entretanto, encontrei algo que irá certamente ser útil a todos os utilizadores do Google+, e como tal decidi partilhar aqui no blog.

Trata-se de uma “cheat sheet”, que não é mais que uma cábula, que neste caso em concreto, contém informação de atalhos e breves dicas para melhorar e facilitar a sua utilização do Google+.

Se ainda não tem conta no Google+, contate-me e indique o email onde gostaria de receber o convite e eu envio-lhe.

Google Panda Update 2.2 – O Que é, Impactos e Dicas

O Google lançou uma atualização ao seu algoritmo que veio agravar/penalizar as penalizações aplicadas a determinados tipos de sites, conhecida como Google Panda Update 2.2.

Esta atualização foi inciada a meio de Junho e, como vem sendo hábito nestas atualizações, o Google revelou muito pouco ou nada sobre ela. De tal forma, que torna difícil falar um pouco mais sobre o que ela engloba.

O que é o Google Panda Update?

O Google Panda Update é/foi uma atualização que o Google realizou ao seu algoritmo, com o objetivo de penalizar sites que, estando bem posicionados nos rankings, não teriam, a seu ver, valor e qualidade para lá estar.

Houve sites que, na primeira atualização (Panda) do algoritmo, perderam até 80% do seu tráfego orgânico proveniente do Google.

Como em todos os caso verificados até agora, para se penalizar os maus, acabaram por apanhar alguns “bons” também.

Depois em Maio, foi lançada uma nova atualização Panda, chamada de Google Panda Update 2.1 que incidiu essencialmente (ou mesmo apenas) em sites de língua inglesa.

E agora em Junho, nova atualização – Google Panda Update 2.2 – que atinge site de todas as línguas (pelo menos tudo aponta nesse sentido) e que vem mais uma vez penalizar sites que o Google considera que não têm valor.

Em corrente contrária, está o Web Marketing, que todos os meses consecutivamente, bate records de tráfego, tendo cada vez mais visitas.

Para si que foi, ou que pode vir a ser alvo do faminto Panda, aqui ficam algumas dicas para não ser apanhado por ele:

1. Usabilidade

Este é talvez um pouco óbvio, mas a verdade é que um site que tenha a página carregada de banners, não providencia ao utilizador uma experiência positiva.

O mesmo acontece com menus escondidos ou de difícil acesso.

Tentar sempre ter em conta a usabilidade de um site é algo, que independentemente do Panda, para mim é fundamental. Já o disse várias vezes.

2. Conteúdo

Também como já disse, é fundamental publicar conteúdo com qualidade.

Cada vez mais a dificuldade na internet deixa de ser encontrar algo, mas encontrar algo de real valor.

Não interessa publicar todos os dias se os seus conteúdos são ocos e pobres. É preferível publicar menos frequentemente e com melhor qualidade.

Em qualquer situação, o conteúdo quando é bom, é reconhecido pelos utilizadores interessados no tema, seja ele qual for.

Mantém-se (por enquanto) o cliché: “Content is King!”

3. Atualizações

Um site desatualizado é um site que não recolhe pontos positivos para fugir ao Panda.

Obviamente, nem todos os sites têm a mesma natureza, mas é sempre possível fazer atualizações ou no próprio site ou num site ou blog de apoio a esse site.

Não quer dizer que, se não o fizer, será “apanhado”, simplesmente que, se o fizer aumenta a probabilidade de não ser, já que uma das coisas que o Google valoriza é a atualização de conteúdos.

4. Diversificação de Tráfego

Outro tema que já abordei, mas que vale a pena reforçar, é a diversificação das origens de tráfego do seu site.

Embora o Panda esteja dirigido para sites de qualidade inferior (pelo menos aos olhos do Google), foram muitos os sites que não estavam no target, que foram apanhados “nas malhas do Panda” – estava desejoso por dizer isto :).

E como tudo na vida, nenhum site está livre de ser apanhado. No entanto, se o tráfego do seu site se baseia no Google para sobreviver, cuidado que o Panda anda por aí…

Vale muito a pena diversificar e captar tráfego de outras origens, não apenas porque é sempre uma boa aposta, como também porque no caso do Panda voltar, o impacto que pode causar será minimizado.

 

Conclusão

Ninguém está livre de ser apanhado pelo Panda, mas podemos trabalhar no sentido de evitar que isso aconteça, ou que, se acontecer, o impacto não seja tão grande.

De plena consciência, também ninguém (à exceção do próprio Google) lhe pode garantir, que se cumprir estas dicas, nunca na vida será afetado pelo Panda, mas muito dificilmente isso aconteceria.

Até porque estas dicas, têm o resultado prático exatamente oposto, o que se traduz em melhorias para o seu site e uma experiência mais positiva para o utilizador, que é o que o Google tão ativamente defende.

O seu site foi “caçado” pelo Panda?

Facebook Vai Lançar Video Chat Powered by Skype

Face ao recente lançamento do Google+ pelo Google, o Facebook fez um anúncio em que não revelava extamente o que iria fazer, mas que anunciava como sendo algo espetacular.

O site Mashable, segundo fontes próximas e de confiança, revela que o Facebook planeia lançar esta semana uma funcionalidade de Video Chat integrada no próprio Facebook.

google vs facebook

Aparentemente, e através de uma parceria já existente entre o Facebook e o Skype, o Facebook, desenvolveu esta nova funcionalidade que, segundo consta, ficará disponível muito brevemente.

Esta parceria já terá permitido integrar informação da rede Facebook no Skype, e agora terá sustentado este novo desenvolvimento.

Já tinham havido rumores sobre esta funcionalidade, mas nunca se concretizou, e parece-me a mim, que terá sido o Google+ o grande impulsionador deste lançamento.

Tal como eu já tinha referido no artigo recente sobre o Google+, bem como noutros artigos, quem ganha com a existência de concorrência é sempre o utilizador (nós), e aqui, verifica-se isso mesmo.

Algo que muito provavelmente, o Facebook não estaria para lançar, ou pelo menos para lançar tão cedo, em face dos recentes desenvolvimentos relacionados com o lançamento do Google+, terá o Facebook reconsiderado as suas prioridades e resolvido lançar esta funcionalidade.

Coincidência não terá sido, concerteza 🙂

A confirmar-se este lançamento, fará concerteza com que uma das novidades do Google+, o Hangouts, deixe de ser uma novidade exclusiva, mas de qualquer forma, também dependerá muito como funcionará esta nova funcionalidade, já que a do Google+, do pouco que vi até agora, parece-me muito bem conseguida.

Esta parece-me também um início interessante para a “guerra social” entre o Google e o Facebook, que, certamente trará muitos mais desenvolvimentos no futuro.

Aguardemos mais novidades…

Google Lança Google+ a Sua Nova Rede Social

O Google lançou (finalmente) o Google+, a sua rede social.

O projeto Google+, é algo que, não sendo uma surpresa, confirma a importância que o social media tem para o Google, e que segundo o seu blog oficial, a forma de partilha de conteúdos na internet não corresponde às expetativas das pessoas, e foi esse o desafio que lançaram a si próprios foi resolver este “problema”.

 

Veja aqui os vídeos de apresentação do Google+:

+Circles

Segundo o Google, e talvez com alguma razão, a forma como partilhamos conteúdos numa rede social é sempre feita de forma igual, seja a partilha com família, colegas, amigos, etc, o que na realidade não faz muito sentido, pois não só a natureza dos conteúdos como os conteúdos em si e as formas de partilha devem ser completamente diferentes.

É aqui que entram os Circles. Circles, como o próprio nome diz (círculos), é uma funcionalidade do Google+ que permite ao utilizador criar círculos de pessoas consoante a natureza da sua relação com eles, de forma a que seja possível ao utilizar partilhar conteúdo de forma mais seletiva e direcionada.

 

 

+Sparks

Sparks, são nada mais nada menos que, interesses.

Através desta funcionalidade o Google+ permite a fácil pesquisa e acesso a informação organizada por interesse ou tema.

Nem todos gostamos do mesmo ou estamos interessados na mesma informação. Há quem goste de futebol, há quem goste de marketing, há quem goste de cozinha, etc, logo faz sentido facilitar o acesso a informação, que está dispersa pela internet e organizá-la de forma a que permita um acesso e leitura simples e descomplicado.

 

+Hangouts

Hangouts é uma funcionalidade que também me parece interessante.

Na realidade, o Google está a tentar (vamos ver se resulta) dar um passo à frente, na forma como comunicamos uns com os outros. Na realidade, em vez que disponibilizar uma funcionalidade de Chat, à semelhança de tantas outras que existem, seja integradas em redes sociais como o Facebook, seja em regime autónomo, como é o caso do Skype, o Google está a tentar uma nova abordagem.

Com o Hangouts, o Google pretende tornar a forma de comunicar em tempo real diferente. Isto porque, quando utilizamos uma destas ferramentas, o que acontece é que quando estamos “disponíveis”, estamos disponíveis para todos, o que poderá não corresponder à realidade. Da mesma forma, quando mandamos uma mensagem a alguém e esse alguém não responde, pode ser por não querer, ou por simplesmente não estar em frente do ecrãn.

Segundo o Google, isso não acontecerá com o Hangouts, já que será uma funcionalidade que permitirá que estes encontros aconteçam com vídeo e de forma diferente e em conjunto com os Circles.

 

+Mobile

Como seria de esperar, dada a rápida evolução e crescimento da utilização de dispositivos móveis para aceder e navegar e utilizar a internet, o Google+ tem uma vertente mobile, que se pretende que venha permitir uma utilização fácil e simplificada do Google+ através de dispositivos móveis.

+Localização

No Google+ será possível adicionar a nossa localização a cada post. Esta funcionalidade não é obrigatória. Ser sempre o utilizador a definir se quer partilhar a sua localização ou não em cada post.

+Instant Upload

Todos nós tiramos fotos com os nossos telemóveis. E para que servem as fotos que tiramos, se não as pudermos partilhar com outras pessoas?

Logo, faz sentido que a partilha seja feita de forma facilitada, sem ter de recorrer a bluetooth, ligações wireless ou outras aplicações que sirvam para o efeito.

Desta forma, o Google+ criou o Instant Upload, que é uma funcionalidade que faz com que as fotos que você tira com o seu telemóvel sejam automaticamente adicionadas a um album privado na cloud, com a autorização do utilizador (claro), e desta forma ficam facilmente acessíveis a partir de qualquer dispositivo para serem partilhadas com outras pessoas.

 

+Huddle

Huddle é uma funcionalidade que permite a um utilizador, mandar uma mensagem em tempo real e a partir de um dispositivo móvel, para um determinado Circle (grupo de pessoas).

Para já, o Google+ já se encontra disponível para o Android (como já seria de esperar), e estará disponível para outras plataformas muito brevemente.

 

Conclusão

Nesta fase o Google+ ainda está em fase de Trial, pelo que ainda só se pode aderir através de convite. Esta fase será naturalmente aproveitada para limar algumas arestas, antes de tornar a rede aberta a todos.

Na minha opinião (ainda muito prematura), parece-me que existem aqui inovações que podem realmente potenciar uma adesão em massa, e com isso, criar uma base de utilizadores de volume considerável.

Fará frente ao Facebook?

Sem dúvida que sim. Pelo menos tem argumentos para isso, já que não me parece apenas “mais uma rede social”, mas sim algo que foi pensado e implementado com vista a fazer algo realmente diferente do que já existe, o que, para mim, é algo fundamental quando se entre num mercado, como já tive oportunidade de dizer várias vezes aqui no Web Marketing.

Em que é que isto nos beneficia?

Em tudo o que tenha a haver com redes sociais. Isto porque, como já disse várias vezes, bem como outros leitores, quem ganha com a concorrência é sempre o utilizador, SEMPRE!

Agora, o que eu realmente gostaria de ver, era o Facebook criar um motor de busca. Isso sim, acho que seria uma verdadeira inovação que certamente traria uma mudança de hábitos na utilização da internet, já que o Facebook atinge hoje uma expressão verdadeiramente notável com cerca de 750 Milhões de utilizadores.

Por esse motivo o Facebook seria a opção lógica para avançar para este mercado, já que o monopólio do Google no mercado dos motores de busca, dificilmente tem outro concorrente que lhe consiga fazer frente.

E quem é que ficaria a ganhar se isso acontecesse?

Pois é: Todos NÓS!

Vamos ver…

URL do Google+ : https://plus.google.com/