Consultor, Formador, Speaker e Fundador de vários projetos nacionais e internacionais. Google Certified Professional, com diversas certificações internacionais de SEO, Web Development e Marketing Digital, áreas em que é Consultor.

O Melhor do Web Marketing em 2011: SEO

O SEO ganhou maior visibilidade ao longo de 2011. Não sei se começou a haver maior preceção da necessidade prestar atenção a outros aspetos que não só o visual e as funcionalidades dos sites, mas parece-me correto dizer que o SEO está a ganhar a sua devida importância no que respeita ao mercado português e brasileiro.

Esta compilação de artigos agrupa alguns do melhores artigos sobre seo abordando várias vertentes, desde alguns conceitos básicos, outros mais avançados, e também alguns mais específicos como é o caso dos artigos sobre o Panda.

O Melhor de 2011

Dito isto, nunca é demais (re)lançar o alerta: Cuidado com promessas fáceis de “primeiro lugar no Google” em “2 dias” ou “100% garantido”, ou afins.

Isso não existe, é apenas algo criado pelos chamados “chicos espertos” para lhe sacarem (literalmente) o seu dinheiro.

Seo é um processo contínuo que exige trabalho e empenho.

SEO

Espero que tenha gostado da compilação e que aproveite para ler algum que possa não ter lido.

Se houver algum tem em particular que tenha dúvidas ou questões, não hesite em deixar o seu comentário!

O Melhor do Web Marketing em 2011: Social Media

O ano de 2011 foi um ano cheio de novidades e com muitas evoluções ao nível das redes sociais, com maior foco para o Facebook e para o Google+.

Mesmo com o aparecimento do Google+, o Facebook ainda domina nos mercados português e brasileiro, bem como noutros.

Hoje trago-vos uma compilação de alguns dos melhores artigos sobre Redes Sociais publicados no Web Marketing em 2010.

O Melhor de 2011

 

Espero que gostem e aproveitem para ler algum ou alguns que vos possam ter escapado.

Mais uma vez, foi com muito gosto que fiz esta compilação para vocês!

Para 2012, prevejo algumas novidades interessantes, mas para já ainda é cedo para me adiantar 🙂

Se houver algum tópico em particular que procurem mais informação, deixem um comentário!

 

Google Zeitgeist 2011

A Google publicou o Google Zeitgeist 2011.

O Google Zeitgeist 2011 é a compilação das palavras mais pesquisadas no Google durante o ano a que diz respeito, neste caso 2011, claro.

À semelhança do ano passado, alguns dos resultados não são surpresa, mas vale a pena ver.

Do site do Google Zeitgeist:

“Zeitgeist” means “the spirit of the times”, and Google reveals this spirit through the aggregation of millions of search queries we receive every day. We have several tools that give insight into global, regional, past and present search trends. These tools are available for you to play with, explore, and learn from. Use them for everything from business research to trivia answers.

As pesquisas são apresentadas por categorias, tais como, principais pesquisas, filmes, desporto, notícias, TV, entre outras.

Também é possível ver em cada categoria as pesquisas que registam as maiores quedas.

O Google Zeitgeist apresenta, este ano, um visual renovado, na linha do novo visual dos sites Google, e também uma navegação mais interativa.

Além disso, também podemos ver um curto vídeo que recupera alguns dos momentos mais marcantes do ano de 2011.

Vale a pena visitar e ver -> Google Zeitgeist 2011.

Pessoalmente acho excelente a divulgação desta informação, mas acho também que não fazia mal nenhum a Google ir  um bocadinho mais além e divulgar mais categorias.  Não concordam?

Balanço do Ano de 2011

Á semelhança de anos anteriores, nesta altura, é sempre bom fazer um balanço do ano, pois permite-nos ver com mais clareza o que conseguimos atingir e onde ficámos aquém das espectativas.

Sejamos honestos, ninguém consegue atingir todos os objetivos a que se propõe no início do ano, a não ser que não seja muito ambicioso.

Em qualquer dos casos, o balanço do fim do ano é importante para podermos avaliar o nosso desempenho nas várias vertentes da nossa atividade, e não me refiro apenas a balanços financeiros.

O ano de 2010 foi um ano muito interessante para mim, pois permitiu-me implementar mais projetos para clientes e implementar mais soluções de desenvolvimento de projetos atuais.

Os resultados a esse nível têm sido muito positivos, tal como eu esperava, pois tenho plena confiança nos meus conhecimentos e nas minhas capacidades, mas para os meus clientes tem sido muito interessante, já que ao trabalharem de perto comigo, a ao verem a teoria passar à prática, ganharam mais certezas onde antes poderiam haver dúvidas, ou pelo menos, reservas.

Vamos então:

  • O Web Marketing teve, em 2010, um crescimento na ordem dos 200%, o que excedeu largamente as minhas espetativas.
  • este ano tive mais e maiores projetos de consultoria e os testemunhos dos meus serviços sucedem-se, o que é excelente.
  • o que por sua vez, também resulta em mais case studies para partilhar com vocês. Nem todos os clientes concordam com a divulgação de informação, pelo que restam os que permitem. (um já o foi, o outro está para muito breve. aguardo apenas a consolidação dos resultados)
  • Estou prestes a lançar um novo projeto relacionado com o Facebook, no qual tenho vindo a trabalhar nos últimos meses, e que terão notícias brevemente
  • Infelizmente uma das parcerias que tinha estabelecido o ano passado na vertente de serviços não se revelou uma boa aposta. Acontece. Há que olhar para a frente e continuar.
  • Estabeleci parcerias com o E-Goi e com a Lidel, a quem agradeço novamente a disponibilidade para contribuir para o sucesso que foi o Passatempo do 2º Aniversário do blog.
  • Tenho um projeto relacionado com o Mobile, que acredito que tenha um crescimento verdadeiramente brutal em Portugal e Brasil durante o ano de 2012, e que penso lançar no primeiro trimestre de 2012.
  • Continuei a investir bastante no meu conhecimento nas minhas áreas de atuação
  • Estou a desenvolver mais um projeto a título gratuito para uma instituição sem fins lucrativos. Algo que já fiz no passado para a ANCAP, como mais uma forma de dar algo de positivo e como contributo para ajudar quem mais precisa.

Claro que tudo isto tem lado menos bom, é que a minha capacidade de resposta para as solicitações de ajuda, diminuiu consideravelmente, pois a minha dedicação tem necessariamente de ir primeiro para os meus clientes, que estão a pagar pelo meu tempo.

A minha vontade de ajudar mantém-se, como aliás se pode ver pela manutenção do blog, que já por si também é bastante time consuming, mas de forma mais limitada. Às várias pessoas que me pedem ajuda, espero que compreendam, mas não consigo chegar a todos da mesma forma.

No entanto, não posso deixa de agradecer a todos vocês pelo contributo e apoio que têm demonstrado ao longo do ano, em especial aos assinantes do blog, em ainda em “mais especial” ao Water, à Madalena, à Vera, ao Tomé, ao Pedro, entre outros, pelo vosso especial apoio e a todos aqueles que me têm enviado o vosso feedback, seja através de comentários aqui no blog, seja por email.

Como disse sempre desde o início deste projeto, este projeto não é meu, é nosso, meu e dos leitores, até porque sem vocês, nada disto faria qualquer sentido.

Obrigado!

Se não falarmos entretanto, desejo-vos que 2012 seja o melhor ano de sempre a todos os níveis!

PS para assinantes: Espero que tenham gostado das prendas de Natal 🙂
E como “Natal é quando um homem quiser”, mais prendas haverão no futuro!

O Melhor do Web Marketing em 2011: Web Marketing e Produtividade

Chegado o fim do ano de 2010, vou publicar algumas compilações com os melhores artigos publicados em várias categorias no Web Marketing ao longo do ano que agora acaba.

O feedback destas compilações o ano passado foi muito positivo, por isso volto a publicá-las novamente este ano.

Penso que seja muito útil para todos, mas principalmente para aqueles que não apanharam os artigos no momento em que foram publicados.

O melhor de 2011

Para já, aqui segue uma compilação de alguns dos melhores artigos nas categorias de Web Marketing e Produtividade.

Espero que gostem!

Espero que goste da compilação de artigos. Eu gostei de a fazer para si e estou confiante que será uma boa lista de informação a re(ler).

O que achou desta compilação?

Mensagem de Natal 2011

Chegou mais um Natal e com ele mais momentos de partilha em família, com tudo o que isso tem de bom.

Infelizmente, para mim pessoalmente, este Natal ficará irremediavelmente assinalado negativamente por motivos de saúde (ou falta dela) minha e de familiares.

Esse terá sido um dos motivos que me impediu de realizar o Passatempo de Natal que tenho vindo a realizar todos os anos por esta altura. Mais oportunidades virão concerteza…

Seja como for, o que quero mesmo é desejar a todos os leitores do Web Marketing, e em especial aos assinantes, um Excelente Natal recheado de tudo de bom!

Onde quer que esteja, aproveite estes dias para passar junto da sua família e amigos, e deixe as preocupações e o trabalho de lado por agora. Vale a pena aproveitar todos os momentos junto de quem mais gostamos e de quem mais gosta de nós!

[sws_red_box box_size="590"]PS: Para os assinantes e porque não tive oportunidade de fazer mais nada como disse atrás, irei enviar um email com os links dos vídeos do Wordshop que fiz no Creative Learning Lisboa 2011 e uma prenda especial, por isso fiquem atentos 🙂 [/sws_red_box]

Votos sinceros de um Feliz Natal!

Como Criar Engagement no Facebook (3 de 3)

Criar engagement (ou “engagamento”) no Facebook foi o grande foco destes 3 artigos, nos quais, este também se inclui.

Porquê tanto destaque para este tema?

Porque eu acredito que esta é a base de uma presença com sucesso no Facebook, e que será este o caminho para poder rentabilizar a sua página e traduzir os seus fãs, em leais apoiantes, dinamizadores e enriquecedores dos seus conteúdos (os chamados brand advocates).

Completanto esta séria de dicas que já publiquei nos artigos anteriores:

Como Criar Engagement no Facebook (1 de 3) e

Como Criar Engagement no Facebook (2 de 3)

deixo aqui mais algumas dicas úteis para o ajudar a implementar o tão desejado engagement!

engagement Facebook

Abordagem Interativa

A forma como aborda a sua presença no Facebook deve reflectir vontade de interagir. Será muito difícil esperar algo dos seus fãs, que não é promovido (e demonstrado) por si.

Promover a interação com os seus fãs é fundamental, para que estes sigam a sua deixa e contribuam de forma mais ativa nos diálogos que você tenta lançar.

Pode promover esta interactividade de várias formas. Aqui ficam alguns exemplos:

– Respostas Rápidas

Se um fã lhe coloca uma pergunta, responda com a (máxima) rapidez possível. Se demorar muito tempo a responder de forma repetida, irá demonstrar desleixo e passará a imagem para os seus fãs e visitantes da sua página, que não tem muita consideração por eles, e que estes não têm muita importância para si.

Naturalemente que, se fizer exatamente o oposto, passa a imagem que você se importa com os comentários e opiniões dos seus fãs.

– Perguntas Diretas

O tipo de perguntas mais diretas como: o como, onde, quando, ou perguntas para respostas tipo sim/não (ex: concorda), etc, funcionam muito bem, pois não obrigam as pessoas a pensar muito para responderem.

O objectivo com estas perguntas, não é fazer as pessoas pensarem, mas sim com que respondam rapidamente, sem terem de pensar muito no assunto. Se elas virem que têm de investir muito/algum tempo para responder à sua questão, o mais provável será acabarem por não o fazer, de todo.

Promova as suas questões com alguma frequência. Pelo menos, uma questão por mês.

Naturalmente que, fazer perguntas com muita frequência também se pode tornar irritante para os seus fãs, o que teria o efeito contrário ao que se pretende conseguir, portanto também aqui, se requer alguma sensibilidade e aprendizagem contínua.

Tal como outros aspectos, também o nicho em questão condicionará a lógica da frequência das questões que pode ser implementada. Um nicho que tenha muita dinâmica, permitirá uma maior frequência, sem que isso se torne aborrecido, pois se as questões forem pertinentes e sobre temas relevantes, esses aspectos tornar-se-ão mais importantes para o utilizador.

– Reconheça os Seus Fãs

Reconheça os seus fãs, quando estes comentam na sua página, agradecendo o comentário e mencionando-os na sua mensagem.

De uma forma geral, todas as pessoas gostam de ser reconhecidas. Mostrar apreciação e reconhecimento pelas intervenções dos seus fãs, promove de forma muito simples e natural uma aproximação destes à sua página, sem se tornar intrusivo.

Além disso, os seus fãs gostarão de ver a sua intervenção ou contributo reconhecidos, e terão maior tendência para o repetir no futuro.

Algumas páginas vão mais longe e publicam na sua página algo tipo “O Fã do Mês“, ou da semana, consoante o caso.

Na página do WebMarketingPT, agora existe um nova tab com o TOP Fãs do Mês que tem os 10 dos melhores fãs e que é constantemente atualizada.

Esta abordagem tem, normalmente, resultados muito positivos junto da comunidade.

Se decidir implementar algo semelhante, um aspeto muito importante que deverá ter em consideração, é que, deverá ser regular na publicação deste destaque, bem como atualizá-lo com a frequência necessária.

Se não o fizer, será à semelhança de outros aspectos já mencionados, pior que não fazer nada, pois não há nada que passe pior imagem que um site, ou neste caso, uma pagina de Facebook que não esteja devidamente actualizada.

– Passatempos ou Concursos

Realizar passatempos ou concursos é sempre uma excelente forma de promover, tanto a sua página, como a interactividade com os seus fãs.

Durante os concursos que já realizei na página do WebMarketingPT no Facebook, notou-se claramente um maior fluxo de visitas e “Gostos”.

Em certos momentos, também usei os Facebook Ads, para aumentar ainda mais a visibilidade da ação. Mas mesmo em períodos sem publicidade, notei claramente um maior volume de atividade à volta da página.

Espero que todas estas dicas que publiquei ao longo destes 3 artigos o(a) ajudem criar engagement no Facebook, e que isso, se traduza num aumento de visibilidade e retorno da sua página do Facebook.

Naruralmente, se tiver alguma dica que queira partilhar, será bem-vinda!

Como Criar Engagement no Facebook (2 de 3)

Na sequência do último (e primeiro) conjunto de dicas úteis para criar engagement no Facebook, hoje publico mais algumas, que pode começar a implementar desde já para aumentar o poder viral do Facebook, e com isso, aumentar o retorno do seu investimento (seja de tempo, dinheiro, ou ambos).

Partilho aqui então mais algumas dicas para aumentar o engagement no Facebook, mas antes disso, quero agradecer à Vera e ao Pedro terem partilhado as suas experiências aqui no blog, nos comentários do primeiro artigo da série “Como Criar Engagement no Facebook“.

engagement facebook

Frequência de Publicação

É importante estar presente e mostrar uma presença constante, mas como muitas coisas na vida, o que é demais pode ter outros efeitos não desejados, por isso deve ter algum cuidado para não massacrar os seus fãs com excesso de comunicações!

Como tudo na vida, a aprendizagem irá dar-lhe toda a informação que necessita para concluir qual a melhor frequência de publicação para o seu caso em particular, mas até lá, tente fazer alguns testes, mantendo uma certa regularidade, sem que com isso, esteja constantemente a importunar as pessoas com os seus posts.

Alguns estudos apontam no sentido de que 3 publicações por dia, ao longo do dia ser uma boa frequência, e não ser encarado como SPAM.

Não me vou estar sempre a repetir, e a dizer que você deverá testar, mas penso que, independentemente disso, deve partir de um ponto que tenha apresentado bons resultados, e com isso, aprender também com a experiência de outros.

Além disso, e como já disse atrás, publicar por publicar é pior que não publicar nada, por isso mais que o número ou frequência, é importante manter a relevância dos seus posts.

O melhor será combinar o máximo de relevância com a frequência certa.

Promova o Diálogo

+ Diálogo = + Viralidade = + Audiência = + Gostos = + Retorno

Conseguir estabelecer um diálogo com os seus fãs, deve ser uma das suas prioridades, já que, este permitirá, não apenas, uma aproximação natural com os seus fãs, mas também conseguir chegar a uma audiência maior, fruto do poder viral do Facebook.

Conseguindo estabelecer diálogo, não será apenas você a criar conteúdos para dar visibilidade à sua página, mas serão os seus fãs também, já que os gostos, comentários, partilhas e quaisquer outras intervenções destes, aparecerão nos seus murais e serão partilhados com os seus amigos.

Coloque questões aos seus fãs. Verá que este será uma excelente forma de iniciar um diálogo.

Tradicionalmente, as questões, sejam nos próprios posts, seja em questionários dentro do Facebook, têm bons resultados em termos de resposta da parte dos fãs.

Esta é, certamente, uma das formas mais fáceis e com menos custo, de promover um diálogo com os seus fãs.

Não se esqueça de usar questões que sejam minimamente relevantes ou de alguma forma relacionadas com as temáticas que abrange na sua página, caso contrário não estará a utilizar todo o potencial das questões em seu benefício, até porque, isso também poderá atrair pessoas interessadas nesse tópico, que depois abandonarão a sua página, porque os temas nela abordados não estão relacionados com o tema que as atraiu.

Tal como no ponto anterior, a relevância é ponto chave!

Landing Page

Crie uma landing page personalizada para a sua página do Facebook.

Não são precisos estudos (embora também os haja) para nos dizer que uma página que tenha uma landing page com bom aspeto e uma mensagem atractiva, converte mais visitantes em fãs, que uma página de Facebook, onde os visitantes sejam direccionados para o “Mural”.

Como diz o ditado popular, “Os olhos também comem”.

Como em tudo online, o visual é um aspeto importante, pois quanto mais atractiva for uma página, maior será a probabilidade de captar mais fãs.

Obviamente o visual não é tudo, nem é o mais importante, mas é certamente um aspeto que contribui com um peso considerável na forma como a sua página é “vista” e avaliada no Facebook.

Sobre este tema em particular, espero ter alguns dados para partilhar aqui no Web Marketing, brevemente.

Mais dicas virão muito brevemente.

Entretanto, partilhe as suas experiências comigo e com os outros leitores, pois é isso que enriquece estes conteúdos!

Como Criar Engagement no Facebook (1 de 3)

Criar Engagement no Facebook, é absolutamente fundamental para conseguir tirar o máximo partido da sua presença nesta rede social, assim como do poder viral do Facebook, como já tive oportunidade de dizer, quando falei sobre o que é engagement.

A verdade é que é este tipo de abordagem que lhe permite criar uma presença que, por sua vez, lhe dá a possibilidade de criar  relações mais próximas com os seus fãs, através da criação de real valor, e em simultâneo, conseguir um maior retorno.

Desta forma, e porque é importante que haja mais sensibilidade e algum know-how na forma como se conduz uma presença no Facebook, deixo aqui algumas dicas práticas para que possa, desde já, criar (mais) engagement, e, com isso, melhorar o relacionamento com os seus fãs e aumentar a visibilidade da sua página no Facebook.

De forma a não tornar o artigo maçador, resolvi separar o artigo em 3 partes, e de mais fácil digestão, sendo os restantes publicados nos próximos dias, caso contrário ficaria um texto muito longo.

A informação que aqui publico, tem como base a minha experiência pessoal, assim como alguns estudos que foram efectuados no e sobre o Facebook.

Sem mais demora, aqui vai:

Tipo de Posts

O tipo de publicação, só por si, poderá ser algo que condicione a leitura e partilha do seu post.
Quando falo em tipo de publicação, refiro-me ao conteúdo dos seus posts.

Vários estudos apontam no sentido de posts com pouco texto terem mais impacto que posts muito longos (com várias linhas de texto, pelo menos mais de 4).

Faz algum sentido, já que, as publicações no Facebook são tantas, que quando mais sucinta e direta ao ponto for um post, maior será a probabilidade dele ser realmente lido por mais pessoas, e consequentemente, partilhado mais vezes também.

Outro aspeto fundamental a considerar é a imagem dos seus posts, pois um post com imagem tem tendência a aumentar consideravelmente as, leituras, partilhas, comentários e “gostos”.

Tente variar no tipo de conteúdo que partilha. Por exemplo; não se limite a partilhar artigos. Partilhe também outros tipos de conteúdos, como imagens/fotos, vídeos, apresentações, pdf’s, etc.

No entanto, nunca se esqueça que o mais importante de tudo é que o conteúdo seja relevante para os seus fãs.

Publicar por publicar, é pior que não o fazer, por isso invista na relevância dos temas que publica na sua página. Os seus fãs irão agradecer-lhe!

Forma dos Posts

A forma dos seus posts também poderá ser muito importante, e em alguns aspectos decisivo para conseguir ter mais leitura.

Ainda hoje, é comum ver páginas onde a conversa é unilateral, e sem qualquer subtileza é muito fácil concluir para que é que aquelas pessoas,/empresas usam o Facebook.

Isto porque, pela análise do mural, facilmente se percebe que a única coisa que tem sido feita naquela página, é o despejar de conteúdos, de forma contínua e repetida.

Uma página destas, dificilmente consegue ter mais leituras, partilhas e gostos, já que não tem qualquer atractivo que possa fazer com que as pessoas sintam que têm algo a ganhar em fazer “Gosto”.

Pelas notícias não será certamente, pois hoje em dia, uma notícia nunca é publicada apenas num site, mas em dezenas ou centenas de sites, dependendo do nicho.
Portanto se pensa que as suas notícias (só por si) são um atractivo, pense melhor.

Dia e Hora da Publicação

Existem vários estudos sobre este tema, e que analisam qual será o melhor dia e hora para a publicação dos seus posts no Facebook, de forma a conseguir mais visibilidade e maior aproveitamento do poder viral do Facebook, a fim de chegar a uma maior audiência.

Não vou abordar todos os estudos e seus aspetos, senão não faria outra coisa. Vou sim, passar algumas das conclusões que eu considero mais importantes, juntamente com a minha opinião.

Um dos aspectos em que os estudos são mais ou menos consentâneos e que está relacionado com a hora da publicação, é que, em quase todos os que tive acesso, concluem que as melhores horas de publicação são a meio do dia e fora da hora de expediente.
É óbvio que, se todos publicassem por volta da mesma hora, então muito possivelmente, esta deixaria de ser a melhor altura do dia para publicação.

No entanto, parece-me mais ou menos seguro concluir que, junto à hora de almoço, é certamente uma das horas de eleição de forma a conseguir dar mais visibilidade ao seu post. Outra altura do dia que tem sido apontada como sendo muito boa, é fora da hora do expediente (normal).

Tenha sempre em mente que, diferentes nichos podem ter diferentes momentos mais propícios para potenciar o engagement. Um exemplo, é o nicho do entretenimento (cinema, música, etc), em que os dias apontados como tendo mais retorno em termos de engagement, são de 5ª feira até sábado, o que faz algum sentido, já que se aproxima o fim-de-semana, e muitas pessoas procuram opções para gozar no seu fim-de-semana.

De referir que, é sempre importante testar, mas seja que testes fizer, é sempre importante que faça vários e que analise os respectivos resultados, pois o que funciona comigo ou com outro, poderá não resultar tão bem com outra pessoa, página ou nicho.

Como disse no início, irei publicar mais dicas sobre como criar engagement no Facebook muito brevemente.

Sobre estes tópicos, já fez alguns testes que possa partilhar os resultados?

4 Aplicações Úteis Para Gerir As Suas Contas Nas Redes Sociais

Há algum tempo publiquei um artigo onde falei de uma ferramenta que pode usar para gerir todas as suas redes sociais.

Como a gestão das redes sociais é um aspeto cada vez mais importante, resolvi publicar uma lista de ferramentas de gestão de redes sociais, de forma a que, quem ainda não utiliza nenhuma, ou a ferramenta que utiliza não o deixa absolutamente satisfeito, possa conhecer outras e adotar a que melhor se aplica ao seu caso.

Entre muitas outras, uma das grandes vantagens de usar estas aplicações, é que com um clique, você consegue publicar a sua mensagem em várias redes sociais.

Se pensarmos que, normalmente, para o fazer, é necessário aceder a cada uma delas, fazer o login, ir ao menu correto, etc, com este tipo de aplicações, consegue-se poupar imenso tempo.

Sem mais, aqui fica uma lista de ferramentas que pode usar para gerir as suas contas nas redes sociais:

1. HootSuite

Nome: HootSuite

Tipo: Local e Web Based

Site: http://hootsuite.com/

Quando escrevi sobre o HootSuite, este ainda não disponibilizava uma versão de instalação local, o que acontece agora. Desde há algum tempo, que tenho vindo a usar o HootSuite e estou satisfeito.

Muito fácil de usar, com um dashboard muito intuitivo. O HootSuite é semelhante ao TweetDeck e ao Seesmic em muitos aspetos relacionados com a usabilidade da aplicação, o que me parece ser algo mais ou menos concensual que terão chegado a um layout que satisfaz muita gente.

Um ponto a favor do Hootsuite, é que foi uma das plataformas escolhidas pelo Google para gerir páginas do Google+, o que, a ser implementado, que espero ser para breve, irá facilitar muito a vida de quem quer manter também uma página no Google+.

E, já agora, espero que esta opção esteja disponível no plano gratuito 🙂

Outra vantagem do HootSuite é que permite a gestão, não apenas de páginas de perfis do Facebook (páginas individuais), mas também de Páginas de Facebook, o que é excelente!

2. TweetDeck

Nome: TweetDeck

Tipo: Local (Web Based em versão beta)

Site: http://www.tweetdeck.com/

O TweetDeck é uma aplicação em Adobe Air de instalação local (instala-se no seu PC ou MAC) e corre a partir do seu computador.

Caso ainda não tenha, tem de instalar o Adobe Air no seu computador para poder correr esta aplicação.

Há quem prefira software de instalação local a aplicações web based. Pessoalmente, acho que pode ser um ponto que interfira na decisão, mas não deverá ser decisivo, já que há outras funcionalidades mais importantes.

O TweetDeck foi comprado pelo próprio Twitter, o que poderá ser interessante em termos de desenvolvimentos futuros.

O seu dashboard em tons escuros, é, na minha opinião, muito agradável, e terá feito algum sucesso, pois algumas das outras ferramentas adotaram pelo menos a opção de usar um dashboard nestes tons.

À semelhança do HootSuite, disponibiliza aplicações para as mais populares plataformas móveis iPhone e Android, o que é sempre muito útil.

Seesmic

Nome: Seesmic

Tipo: Local e Web Based

Site: https://seesmic.com/

A versão de instalação local do Seesmic requer que instale o Miscrosoft Silverlight para que possa executar a aplicação.

Disponibiliza vários plugins, incluindo um encurtador de urls para facilitar a publicação de conteúdos que tenham links longos, o que, por motivos óbvios, é especialmente útil para o Twitter.

O Seesmic permite a utilização de contas do Facebook, Google Buzz, LinkedIn, Twitter, Ping.fm e Salesforce Chatter.

O seu dashboard é muito intuitivo e permite uma fácil navegação entre as várias tabs. Esta é, a meu ver, uma ferramenta muito interessante que vale a pena testar!

Cotweet

Nome: Cotweet

Tipo: Web Based

Site: http://cotweet.com

Esta foi a única aplicação da lista aqui publicada que eu nunca usei.

Tem uma versão gratuita, em que permite apenas a gestão de contas do Twitter, mas pelo que me parece, está mais virada para o mercado empresarial, fornecendo mais funcionalidades viradas para a gestão de tarefas, gestão de vários utilizadores, emissão de relatórios, etc.

Certamente algo a considerar para empresas que tenham várias pessoas a gerir a sua conta do Twitter e do Facebook (versão Enterprise).

Qual é a aplicação que você usa para gerir as redes sociais?

Atualização: Google Panda, Conteúdo Duplicado e Plágio

Neste momento, você já tem uma ideia clara sobre o que é Google Panda e o que ele representa ou pode representar para os seus rankings.

Também já tem algumas dicas importantes sobre como sobreviver ao Google Panda e o que tem de fazer para combater o plágio, que gera a duplicação de conteúdo, o que, por sua vez, é um dos vários focos do Google Panda, mas neste vídeo são dadas indicações claras de quais devem ser as prioridades e o caminho a seguir.

Ao ter conhecimento de uma explicação dada em vídeo por Matt Cutts do Google a este respeito, não quis deixar de o partilhar com os leitores do Web Marketing, pois, no seguimento das dicas que já transmiti aqui no blog, penso que é uma complemento valioso, e altamente aconselhável para melhor perceber como ultrapassar estes problemas, ou até para evitá-los.

É um fato inegável que, embora hajam algumas medidas que possamos tomar para desincentivar o plágio dos nossos conteúdos, não é possível impedi-lo de forma absoluta, logo, torna-se necessário, estarmos atentos às atualizações que são feitas ao algoritmo do Google, e como é que estas nos podem beneficiar.

Pessoalmente, fiquei satisfeito de saber que o Google tem uma equipa de engenheiros a trabalhar continuamente no tema, de forma a minimizar o impacto que a duplicação de conteúdos poderá ter nos ranings dos criadores originais de conteúdo, e em simultâneo, a eliminar os “rapinadores” de conteúdos dos resultados das pesquisas.

Engagement: Um Conceito Obrigatório Para Ter Sucesso No Facebook!

Criar engagement ou aumentar o engagement de uma página no Facebook é, a meu ver, algo absolutamente prioritário depois de apostar na sua criação.

O tom um pouco mais agressivo deste artigo, destina-se, não a ofender ninguém, mas sim a despertar consciências.

Ao contrário do que muitas pessoas ainda pensam, criar uma página no Facebook não é um objetivo, mas sim o início da implementação de uma estratégia de marketing digital para promover um site, marca, empresa ou serviço.

[sws_green_box box_size="580"] Entenda-se por engagement, algo como a capacidade de estabelecer conversas bilaterais com os seus prospetos, afim de aumentar o grau de ligação a si e estabelecer relações mais próximas entre eles (os seus prospetos) e a sua marca, empresa ou o seu site. [/sws_green_box]

Não basta estar presente no Facebook, só por estar, ou só porque “está na moda” estar no Facebook. É preciso saber o que fazer para estabelecer relações com os seus prospetos, clientes ou apenas interessados no que você tem para partilhar.

Ainda hoje, por incrível que possa parecer, ainda é comum vermos páginas de Facebook “geridas” por pessoas que acham que é suficiente despejar os seus conteúdos de forma repetida e desligada e “empurrá-los” para a frente do máximo de pessoas possível, sem mostrar qualquer vontade ou disponibilidade para estabelecer um diálogo.

Será ignorância ou desleixo?

A ignorância é uma justificação razoável, já que ninguém nasceu ensinado, e o processo de aprendizagem é, como sabemos, um processo contínuo.

Mas até a própria ignorância deixa de ser desculpa, quando as oportunidades para melhorar (ou aprender a melhorar) existem com fartura, e simplesmente não existe vontade de o fazer.

Aí, passamos a uma situação de puro desleixo.

O “eu sei publicar conteúdos no Facebook” passa a ser suficiente para estas pessoas, sem fazerem o mínimo de ideia do que isso significa, ou do que estão a abdicar ao adotarem uma abordagem tão reduzida e exageradamente simplista.

Seria um passo gigante para estas pessoas entenderem que os fãs são pessoas e não robots, e tal como pessoas que são, têm interesses, vontades, opiniões e pontos de vista que também gostam de partilhar.

Claro que, se a abordagem destas pessoas for numa perspetiva reduzida de, “quero utilizar o Facebook apenas para despejar as minhas notícias e promoções”, nesse caso, estão no bom caminho, sem dúvida.

No bom caminho para amanhã estarem a falar sozinhos ou para meia dúzia de (des)interessados.

Se não têm vontade de fazer mais e melhor, então façam um favor a todos nós e PAREM. Por favor parem de fazer SPAM nas Redes Sociais!

Neste momento, não há desculpas para não fazer melhor. A Internet está cheia de bons artigos, recursos, estratégias que qualquer pessoa pode implementar para gerir uma página de Facebook com sucesso.

Não é necessário ter um curso superior ou uma formação especialmente técnica para o fazer. Basta vontade de aprender e algum empenho.

Só isso, será meio caminho para ter uma página de sucesso no Facebook.

Para contribuir para eliminar as (falsas) desculpas do desconhecimento, também eu me proponho a criar alguns artigos com dicas sobre como o fazer, e nessa altura, tenho a certeza que se essas pessoas, se se derem ao trabalho de os ler, dirão (espantadas ou não): “Afinal até uma criança faz isto!”

Tem ideia de algum tópico em particular para eu abordar num próximo artigo?

Talvez algo onde tenha conhecimento de haver alguma dificuldade generalizado ou algo parecido?

Combater o Plágio Com Fat Pings

Há pouco tempo falei sobre como podemos proteger o conteúdo contra o plágio, que diga-se, é uma praga cada vez mais presente na web.

Para nós, criadores de conteúdos, temos de proteger o nosso conteúdo de alguma forma, para evitar, por um lado que este seja “roubado”, e por outro, que nós próprios sejamos prejudicados nos rankings do Google, por conteúdo duplicado ou qualquer outra situação parecida.

 

Por incrível que possa parecer já tive conhecimento de uma situação em que foi a criadora do conteúdo a ver o seu blog desaparecer dos rankings, devido a uma situação destas, o que é sempre complicado, ainda mais porque a culpa não era dela.

Nessa altura e durante algum tempo, o seu blog praticamente desapareceu dos rankings, fazendo com que o tráfego tenha reduzido imenso, assim como as receitas do blog.

Só dei este exemplo, que é um caso real, para ilustrar a importância de se tomarem algumas medidas para se proteger deste problema, pois pode acontecer a qualquer um.

Além das soluções que já falei anteriormente no artigo que referi atrás, deparei-me com outra solução interessante no Labnol, que foi incialmente apresentada por Matt Cutts (Engenheiro da Google) no evento PubCon 2011, e que consiste na utilização de Fat Pings. (não, não é Fat Pigs 🙂 )

O que são Fat Pings?

O método de Fat pings, assenta fundamentalmente no envio de informação para o Google, cada vez que você publica um conteúdo no seu site ou blog.

Mas para isso já existem os pings “normais”! – Verdade.

A diferença dos pings comuns para os Fat Pings, é que estes últimos não enviam apenas a informação da publicação do conteúdo, mas sim todo o conteúdo para o Google.

Como Configurar os Fat Pings

Se o seu site ou blog assenta na plataforma Blogger ou Wordpress.com, então não precisa de fazer nada, pois esta opção já está implementada por default.

No caso do seu site ou blog assentar na plataforma Wordpress, então pode sempre utilizar um plugin que foi criado para o efeito.

O plugin é muito fácil de usar, pois basta instalar como qualquer outro e depois é só ativar, não sendo necessário mais qualquer passo.

Também poderá usar os Fat Pings para outras plataformas, desde que usem RSS Feeds através do FeedBurner.

Para tal, basta entrar na sua conta do FeedBurner e na Tab Publicize, ativar a opção PingShot Service.

Conclusão

A verdade é que esta, à semelhança de outras situações parecidas, é uma guerra constante, mas, a meu ver, devemos sempre fazer o que está ao nosso alcance para nos proteger-mos, bem como os nossos conteúdos.

Ainda esta semana, tive de contatar um blog que tinha copiado, na íntegra, um artigo aqui do Web Marketing, sem se dignar a colocar qualquer link como forma de reconhecimento para o artigo original.

Pelo menos tiveram a decência de retirar o artigo depois de eu os contatar, mas nem todos são assim.

Já experimentou ver se estão a roubar os seus conteúdos?

Cuidado, pode ter alguma surpresa menos boa!

5 Dicas Para Melhorar os Resultados de Campanhas de Adwords

Embora eu prefira chegar ao primeiro lugar no Google através de SEO, isso não implica que muitas outras pessoas não possam preferir pagar para lá estar. E quem sou eu para os julgar?

Até porque existem muitas situações em que o Adwords complementa o SEO, e vice-versa. Não são atividades que impeçam a outra de existir, até pelo contrário.

Principalmente e casos onde apenas uma não consegue um volume suficiente de visitas e/ou conversões, justifica-se perfeitamente utilizar as duas opções em conjunto.

Uma vez que é importante, ter pelo menos umas noções base que lhe permitam ambicionar bons resultados na sua campanha de Adwords, decidi publicar algumas dicas importantes que o podem ajudar nesse sentido.

1. Aposte em Palavras-Chave Long Tail

O termo long tail keywords, significa, (na falta de melhor tradução) palavras-chave longas, isto é, conjuntos de palavras que compõem uma expressão mais longa que 1 ou 2 palavras.

Exemplo de palavra-chave curta: pastilhas

Exemplo de palavra chave longa: pastilhas sem açucar

Repare que no caso de palavras chave curtas, e porque estas são mais genéricas, aumenta a probabilidade de estar a exibir o seu anúncio a pessoas que procuram outras coisas que não o sue produto ou serviço.

Neste exemplo, poderia muito bem haver quem estive à procura de pastilhas de travões para o seu carro, por exemplo.

2. Alargue a Escolha de Palavras-Chave

Um erro muito comum, é criar campanhas de Adwords apenas com as palavras-chave mais óbvias.

Isso é um erro que o pode prejudicar muito, pois, por um lado estas palavras-chave, por serem as mais óbvias para si, também o são para outros, logo são as mais licitadas, o que resulta num CPC (Custo Por Clique) mais alto.

Não quero dizer que não se deve apostar nessas palavras-chave, mas se alagar o seu leque de opções, sairá a ganhar por 2 motivos:

  1. não fica tão dependente apenas das palavras-chave com o preço mais alto
  2. consegue mais conversões provenientes de outras palavras-chave mais “baratas”

3. Agrupe as Palavras-Chave Correctamente

Normalmente, a tendência é criar grupos grandes de palavras-chave com vários sub-grupos todos juntos. Isto também é um grande erro!

Porquê? Porque não permite criar anúncios mais direcionados para as palavras-chave em questão.

Deve sempre agrupar as palavras chave em pequenos grupos mais restritos de forma a que os respetivos anúncios sejam mais direcionados à palavra-chave usada pelo utilizador na sua pesquisa.

Este aumentar de correlação entre ambos os elementos (palavra-chave e anúncio) aumenta a conversão, pois a comunicação é menos genérica e mais direcionada.

4. Aposte na Rede de Conteúdos

Não limite a sua campanha às pesquisas, pois poderá estar a desperdiçar a possibilidade de ter muitas conversões provenientes da rede de conteúdos.

A rede de conteúdos do Google, ao contrário do que é comum ouvir-se dizer, funciona bem. Particularmente bem se estiver a lidar com compras por impulso, onde tem um desempenho muito bom.

Em qualquer dos casos, tenha sempre o cuidade de separar os anúncios e grupos de palavras-chave de forma correta para potenciar um melhor desempenho também na rede de conteúdos.

5. Teste Várias Landing Pages

Deve sempre criar e testar várias landing pages para cada grupo de keywords, por vários motivos.

Primeiro, deve ter sempre em consideração que quanto maior for o Quality Score que o Google atribui à sua palavra chave, melhor para si.

Sobre o Quality Score falarei mais noutro artigo, mas tenha sempre em atenção que, quanto maior for o Quality Score, melhor será o potencial da sua campanha, bem como menores serão os seus custos.

Além da questão do Quality Score, deve sempre testar várias landing pages, pelo simples facto que, só desse forma conseguirá saber qual lhe proporciona mais conversões.

Mesmo que já tenha bons resultados, nada o impede de testar várias landing pages, pois poderá sempre melhorá-los.

Nota Final

Não esqueça que no Adwords, o mais difícil é o início, pois não existe histórico da campanha, logo será mais difícil para si gerir as keywords, grupos, landing pages, etc na fase inicial, e porque, por outro lado, o histórico é algo que também interfere no Quality Score. E não havendo histórico, o seu contributo para o Quality Score é também inexistente.

Uma vez que existem muitas dicas sobre este tema, se quiser partilhar comigo e com os outros leitores do blog, outras dicas práticas, deixe o seu comentário!

Como Criar Uma Página no Google+ > Passo a Passo

Há pouco tempo falei aqui no Web Marketing sobre o Google+ ter finalmente liberado as páginas para empresas, marcas ou sites, à semelhança das páginas que já existem no Facebook, e que já todos conhecemos melhor.

Por isso, resolvi agora publicar um guia prático para criação de páginas no Google+, com instruções passo a passo.

Para quem ainda não percebeu o potencial do Google+, é bom que perceba rapidamente, pois é um canal de comunicação e de divulgação que simplesmente não deve ser ignorado.

Posto isto, vamos então começar o guia.

1. URL de Criação de Páginas no Google+

À semelhança do que acontece no Facebook, o Google+ também tem um endereço específico para que se possa proceder à criação de páginas.

O primeiro passo, portanto, é fazer o login na sua conta do Google/Google+.

Depois basta ir a: http://plus.google.com/pages/create para iniciar o processo de criação da sua página no Google+.

[sws_green_box box_size="600"]Dica

Também pode encontrar este endereço no rodapé da página do Google+.[/sws_green_box]

2. Categoria da Página

Nesta página, deve escolher a categoria em que melhor se enquadra a sua empresa, marca ou site, consoante o caso.

  • Empresa ou Local Próximo – indicado para hotéis, restaurantes, empresas e serviços locais.
  • Produto ou Marca – é para isso mesmo, um produto ou uma marca.
  • Empresa, Instituição ou Entidade – Também bastante óbvio.
  • Artes, Entretenimento ou Desporto – Para filmes, TV, livros, desportos, programas, etc.
  • Outro – Basicamente esta destina-se a tudo o resto que não se enquadra nas outras categorias.

3. Nome e Atividade da Página

Após escolher a categoria a que corresponde o seu projeto, deverá escolher o nome para a sua página e indicar o endereço do site, caso tenha.

Se optar por negócio local, deve indicar o nº de telefone.

Qualquer outra categoria, excepto Outros, requer ainda que escolha uma categoria dentro da principal, que servirá para qualificar o ramo de atividade a que diz respeito.

Na opção de visibilidade da sua página, deixe ficar “Qualquer utilizador do Google+”.

Tem de aceitar os termos (naturalmente) e clicar em “Criar”.

4. Descrição e Imagem da Página

Está na altura de inserir uma breve descrição da sua página, bem como uma imagem de perfil.

[sws_green_box box_size="600"]Dica

Para que a imagem fique com bom aspeto na sua página, crie uma imagem com as seguintes dimensões: 202 pixeis de largura, por 192 pixeis de altura.[/sws_green_box]

De seguida, clique em “Terminar” para concluir a criação da sua página.

5. Ajustes Adicionais

A partir daqui a página já está criada, mas ainda pode dar mais uns retoques para que fique mais completa, o que desde logo, eu aconselho vivamente, por vários motivos que falarei noutro artigo, e por outro lado, também para ficar com melhor aspeto.

De qualquer forma, é aconselhável enriquecer a sua nova página no Google+ com alguma informação importante (mais ou menos, consoante o caso), como é a secção Sobre, Informação de Contato e o site.

6. Imagens de Topo

Pode ainda adicionar 5 imagens ao topo da sua página do Google+, dando-lhe assim um visual mais enriquecido e atraente.

Pode utilizar este espaço para colocar fotos ilustrativas do produto ou serviço, ou para passar uma ou mais mensagens, como é o caso da recém criada página do Web Marketing PT no Google+.

[sws_green_box box_size="600"]Dica

Para que as imagens fiquem com bom aspeto na página, deverá criar imagens em forma de quadrado, com as seguinte dimensões: 126px x 126px.[/sws_green_box]

7. Editor de Imagens

De referir ainda, que o Google+ dispões de um editor de imagens que lhe dá a possibilidade de manipular a qualidade e apresentação da sua imagem, controlando a luminosidade, cores, contraste, dimensões, entre outros.

É sem dúvida muito útil para dar aquele toque final às imagens, especialmente se for colocar fotografias.

Eu próprio testei e usei o editor de imagens do Google+ para dar uns toques finais, não às imagens da página do Web Marketing, pois nessas usei imagens criadas no Photoshop, mas à foto da minha página de perfil, e devo dizer que fique surpreendido pela qualidade e utilidade desta ferramenta.

Chegámos assim ao fim do guia prático para Criação de Páginas no Google+!

Espero que tenha gostado e que este guia o ajude a criar a sua página, pois como já disse, não se deve menosprezar o Google+, só porque hoje é o Facebook que reina. A verdade é que, a volatilidade da internet é de tal forma, que “amanhã” pode mudar tudo, e quem já lá estiver terá certamente uma vantagem sobre os restantes.

Aproveito para deixar o convite para seguir a (recém criada) página do Web Marketing PT no Google+.

E você, já criou a sua página no Google+?

Deixe o seu comentário sobre o que achou deste guia!