Consultor, Formador, Speaker e Fundador de vários projetos nacionais e internacionais. Google Certified Professional, com diversas certificações internacionais de SEO, Web Development e Marketing Digital, áreas em que é Consultor.

Como Ganhar Dinheiro na Internet – Vídeo

Omês passado escrevi um artigo onde abordava as principais formas utilizadas para ganhar dinheiro na Internet.

Com o intuito de explicar um pouco melhor o conteúdo do artigo, resolvi fazer um vídeo onde falo um pouco sobre cada uma delas. O objectivo do vídeo não era tanto entrar em detalhe sobre cada uma, mas sim, explicar um pouco melhor e de forma mais interactiva o conteúdo do artigo.

Se já leu o artigo que fala sobre como ganhar dinheiro na Internet, provavelmente não terá muito a ganhar ao ver este vídeo, a não ser que tenha ficado com alguma dúvida. Caso contrário, vale a pena ver.

Espero que goste!

Gostava de ter a sua opinião sobre o conteúdo do vídeo. Deixe o seu Comentário!

Como Instalar o WordPress em 5 Minutos

Para quem não está familiarizado com o Wordpress, esta é a plataforma de blogues mais utilizada em todo o mundo.
A vantagens do Wordpress, que facilmente pode funcionar além de blog e como CMS (Content Management System ou Sistema de Gestão de Conteúdos) são muitas, e muito embora já muitos dos CMS’s tenham vindo a evoluir, o próprio Wordpress também não tem ficado estagnado, até pelo contrário, fruto dos desenvolvimentos realizados pela equipa que desenvolve a aplicação e pelo envolvimento da comunidade que vive à volta do Wordpress, através da criação de plugins ou add-ons que completam ainda mais o Wordpress.
Como Instalar o Wordpress em 5 Minutos
As vantagens do Wordpress são imensas, passando pela facilidade de instalação, configuração e customização, que está ao alcance de qualquer pessoa, assim como, pela diversidade de plugin’s – pequenas aplicações extra que são disponobilizadas em separado – que são também facilmente instaladas e configuradas.

Em termos visuais, o Wordpress dispõe de um interface que permite facilmente alterar por completo o visual do blog. Para isso existem milhares de themes ou templates para o Wordpress dos mais variados estilos e para todos os gostos e necessidades, muitos deles gratuitos, outros pagos, mas com tanta variedade, será certamente difícil não encontrar pelo menos um que goste. Muitas vezes o problema é exactamente ao contrário, escolher o visual que mais gosta entre os que mais lhe agradam.

O Wordpress pode ter muitas finalidades além de um simples plataforma para blogues.
Pode facilmente ser utilizado como um CMS mais genérico que poderá servir para criar sites dinâmicos, ou para páginas dinâmicas de vendas, ou ainda para sites estáticos.

Para instalar o Wordpress siga os seguintes passos:

1 – Faça o Download do Wordpress
Vá até www.wordpress.org e faça o download da aplicação.
Para a versão em Português (PT) faça o download a partir deste link: http://pt.wordpress.org/
Para a versão em Português (BR) faça o download a partir deste link: http://br.wordpress.org/
Os ficheiros devem vir zipados, por isso, extraia os ficheiros para uma pasta no seu pc.

2 – Coloque os ficheiros Online
Utilize o seu programa de FTP para colocar os ficheiros na pasta da sua conta de alojamento.Eu utilizo o FlashFXP, mas existem outros tão bons como este e gratuitos, com é o exemplo do Filezilla, que é gratuito e fácil de usar.

3 – Crie uma Base de Dados
Para criar uma base de dados facilmente, aceda ao Painel de Control da sua conta de alojamento, e na opção MySQL Databases, insira um nome para a base de dados no campo “Create New Database” (CPanel).
Depois tem de criar um utilizador e respectiva password para associar a esta base de dados. Esta opção deve-se encontrar na mesma página.O último passo é associar este utilizador à base de dados que criou.
Antes de passar ao passo seguinte, certifique-se que toma nota do seguintes dados:
– nome da base de dados
– nome do utilizador
– password do utilizador

4 – Configure o wp-config
Abra o ficheiro “wp-config-sample.php”, que está na raíz da pasta dos ficheiros que colocou online e altere os seguintes dados, conforme os dados que utilizou no passo anterior:

// ** Definições de MySQL – obtenha estes dados do seu serviço de alojamento** //
/** O nome da base de dados do WordPress */
define(‘DB_NAME’, ‘nomedabasededados‘);

/** O nome do utilizador de MySQL */
define(‘DB_USER’, ‘nomedoutilizador’);

/** A password do utilizador de MySQL */
define(‘DB_PASSWORD’, ‘passworddoutilizador‘);

Grave o ficheiro e altere o nome para “wp-config.php”.

5 – Finalize a Instalação
Aceda a http://seusite.com/wp-admin/install.php e termine a instalação com a inserção do nome do blog e o seu email. Não dê muita importância a estes dados neste momento, pois poderá sempre alterá-los mais tarde.

Voilá!
O Wordpress está instalado e pronto a ser utilizado.

Dúvidas ou questões? Já sabe, deixe o seu comentário!

Como Escolher as Melhores Keywords – Guia Passo a Passo

Quando está a pensar lançar um blog ou site num determinado nicho de mercado online, deve fazer algumas pesquisas e análise de keywords (palavras-chave) para avaliar a sua viabilidade, antes de se lançar de cabeça.
Além da análise da concorrência já existente nesse nicho, que deve ser um passo obrigatório, pois é importante perceber o que é que já existe, qual a sua dimensão, etc, a análise de keywords pode ser muito importante para o desempenho do seu blog ou site.

Saber pesquisar e escolher as keywords pode ser uma vantagem, que pode colocar o seu blog em pouco tempo na primeira página do Google.

Como Escolher as Melhores Keywords - Guia Passo a Passo

1 – Faça uma Lista Inicial
Tente fazer uma listas das keywords que lhe interessam e que estão relacionadas com o nicho que está a estudar. Escolha bem as keywords, de forma a que não sejam genéricas demais, mas simultaneamente tragam um volume significativo de tráfego para o seu site.
Igualmente importante é que essas keywords tragam tráfego de qualidade. Muito, não significa bom.

Usando o exemplo do termo “telemóveis”, possivelmente não faria muito sentido pois é uma keyword muito genérica e com muita concorrência, mas se optar por uma keyword mais específica como “telemóveis Nokia” ou “Nokia N97”, as probablidades de conseguir um bom ranking, assim como de atingir uma audiência mais qualificada, é bastante superior. O exemplo não é o mais feliz, mas serve para ilustrar o que quero dizer.

2 – Pesquise e Analise
Faça pesquisas no Google por todos os termos relacionados. Preste atenção aos resultados que encontra na primeira página, analise o conteúdo desses resultados para ficar com uma ideia mais precisa sobre o tipo de conteúdos já existentes.

Esta informação vai-lhe ser útil, por 2 motivos:
– permite-lhe perceber o tipo de conteúdos que estão bem posicionados para os termos que está a analisar
– permite-lhe saber que conteúdos já existem para não correr o risco de fazer exactamente a mesma coisa, já que isso não lhe trará nenhuma vantagem, até pelo contrário. Se for igual ao que já existe, dificilmente vai conseguir boas posições nas pesquisas e também será muito difícil atrair pessoas ao seu blog, uma vez que é apenas mais do mesmo.

3 – Recolha o Volume de Pesquisas
Tome nota do volume dos resultados que o Google lhe apresenta e que pode ver no canto superior direito.
Este indicador é importante, na medida em que, dá-lhe uma ideia da dimensão de resultados que o Google considera para cada termo
que você está a procurar.

4 – Analise o Volume das Pesquisas
Agora que está na posse da informação sobre o mercado, utilize o Google Keyword Tool para ver o volume de pesquisas que esses termos recebem, assim como, a dimensão da concorrência nesse nicho.
Os temros que tiverem um volumen muito baixo, não são uma boa aposta. Tenha cuidado com este aspecto para não acabar a falar sozinho, pois se não houver procura, muito provavelmente é o que irá acontecer.

5 – Utilize o Google Insights for Search
Utilize o Google Insights for Search para perceber a tendência das pesquisas que são feitas por esses termos. Se for uma tendência crescente tanto melhor, caso contrário, tenha alguma cautela, pois poderá ser algo que está a cair em desinteresse de uma forma geral, e este será um bom indicador no sentido de não se lançar nesse nicho.

6 – Escolha o Domínio para o seu Blog ou Site
Na posse da lista de keywords, bem como de toda a informação que recolheu anteriormente, pode agora, proceder ao registo do domínio.
Pessoalmente, não aconselho que faça o registo no início do processo, o que por acaso, até é um erro crasso que me parece que muita gente ainda faz.
Registar um domínio sem saber o suficiente sobre as keywords e o nicho em si, pode ser um perda de tempo., uma vez que, a colocação de uma boa keyword no domínio, embora não sendo obrigatório (porque não é), juntamente com outros factores, pode ajudá-lo a obter boas posições nas pesquisas que forem efectuadas nos motores de busca.

Seja prudente, e analise bem as keywords e os respectivos números, antes de se lançar de cabeça.
Uma boa preparação pode ser meio caminho para o sucesso.

Boa sorte!

Como Funcionam os Motores de Busca – Saiba Tudo

Saber como é que as pessoas usam os motores de busca é uma enorme vantagem para compreender como é que, na realidade, funciona a Internet, o que, por sua vez, lhe dá uma vantagem competitiva face aos seus concorrentes.

Um estudo efectuado em 2008, revela a importância de estar bem posicionado, de preferência na primeira página dos motores de busca, de forma a atingir o sucesso online. Seja o que isso signifique para si, vendas, subscrições, ou comissões de programas de afiliado. Embora já tenha feito referência a este estudo num artigo anterior, parece-me evidente que é necessário reforçar as ideias e conclusões que surgem como resultado desse estudo.

Ainda acha que consegue atingir o sucesso online sem ter o seu site listado na primeira página do Google?
Pense melhor…

Como Funcionam os Motores de Busca

De acordo com este estudo, 68% das pessoas que utilizam os motores de busca, nunca passam da primeira página.

Mais, apenas 8% dos utilizadores chegam a ver a 3ª página de resultados…
Se o seu site estiver na 3ª página, consegue agora ter uma ideia do número de utilizadores que lhe estão a escapar?

Estas percentagens representam uma mudança assinalável quando comparadas com as percentagens de um estudo realizado em 2002, onde apenas 48% dos utilizadores ficavam pela 1ª página dos resultados (agora 68%), e onde cerca de 19% dos utilizadores chegavam à 3ª página (agora apenas 8%).
A tendência cada vez mais, nos indica que estar presente na 1ª página dos resultados das pesquisas, é cada vez mais determinante, pois caso contrário, está a perder cada vez mais audiência e a possibilidade de atingir o sucesso será cada vez menor. Por isso, é que se torna cada vez mais evidente e fundamental, ter o seu site ou blog devidamente optimizado para os motores de busca para os termos de pesquisa que são mais importantes para si.

Além do benefício óbvio de receber mais visitas ao seu site, o estudo revela outro motivo que dá ainda mais importância ao facto de estar presente na primeira página dos resultados; é que, segundo cerca de metade das pessoas que serviram de base a este estudo, os sites que estão listados na primeira página são consideradas (por eles) como autoridades nos temas alvo das pesquisas.

Este elemento, embora não sendo propriamente uma novidade, vem corroborar uma teoria que não é da minha autoria, mas que eu tenho vindo a defender há já algum tempo. É que, o mercado online é muito diferente do mercado offline, e um dos aspectos que mais se destacam é o facto de que, indivíduos particulares como você e eu possam competir lado a lado na busca de tráfego gratuito, com empresas de alguma dimensão, em igualdade de circunstâncias.

Este facto, possibilita a qualquer pessoa iniciar o seu próprio negócio, e ganhar dinheiro de uma forma que, até haver esta hipótese, era muito mais difícil.
A crescente procura online por produtos e serviços da natureza mais variada, abre outra porta; a porta da diversidade de nichos onde se pode lançar a atingir o sucesso.

Espero que este artigo lhe tenha dado mais algumas ideias do que poderá vir a fazer no futuro ou a melhorar o que já tem em curso.

O que são Programas de Afiliados

Embora possa parecer um tipo de informação mais básico, não nos podemos esquecer que não temos todos o mesmo nível de conhecimento, e por isso, resolvi escrever este artigo.

Programas de Afiliados são programas que são disponibilizados, ou por Centrais ou Plataformas de Afiliados ou através dos próprios sites ou empresas, e que consistem no pagamento de uma comissão, fixa ou percentual, pela angariação de clientes para essas empresas, ou pelo cumprimento de alguma acção.

A acção que será alvo de remuneração pode ser de vários tipos, seja por clique, por lead ou por subscrição ou venda.

O que são Programas de Afiliados

Essencialmente, cada programa tem as suas regras específicas, mas normalmente são-lhe fornecidas ferramentas de promoção, como banners, links de texto, e outros, que você pode utilizar para promover esses programas e ser recompensado pelos clique, leads ou vendas que surgirem provenientes de alguém que tenha sido referido por si.

A finalidade dos programas, como já disse, pode ser a mais variada. Há programas que lhe pagam um x por cada clique que os banners receberem, por cada pessoa que se inscrever no site da empresa do programa, ou por cada venda que for feita a alguém que você tenha referenciado.

Em inglês existe uma variadade muito grande de plataformas de Programas de Afiliados, alguns até mais específicos para determinados nichos de mercado, como a Saúde, Templates de Sites ou Casinos por exemplo.

Um dos mais conhecidos no mercado internacional é o Clickbank. Aqui encontra uma diversidade muito grande de produtos que pode promover em troca de comissionamento, e nos mais variados nichos.

Em Português, um dos mais conhecidos, é a plataforma Netaffiliation.
Originalmente de origem francesa, tem a sua actividade alargada a cerca de 12 países, entre eles Portugal e Brasil.

Na Netaffiliation encontra várias categorias de campanhas que poderá adequar ao target do seu site, de forma a providenciar uma publicidade mais direccionada, pois terá certamente mais retorno.

Relativamente aos programas de afiliados, gostaria de deixar mais uma nota que me parece importante.
Nem sempre o que pagam o valor mais alto são os melhores, ao contrário do que se poderá pensar inicialmente. Existem muitos factores que podem contribuir para uma maior ou menor conversão de visitantes em leads ou vendas. Falarei mais sobre estes factores num próximo artigo.

De qualquer forma, é importante que não se deixe iludir pelas campanhas que pagam valores mais elevados. É claro que é um factor importante, mas em certos caso pode nem ser o mais importante e o que mais contribuirá para o desempenho da campanha.

De nada lhe serve promover um programa que paga 50€ por cada venda, se não consegue converter nenhuma. Ao passo que, se promover uma campanha que page 3€ por lead e converte a 10%, já poderá representar uma quantia interessante.

Se porventura, tiver alguma dúvida, deixe o seu comentário. Ou, se tiver alguma experiência que queira partilhar, será igualmente bem-vinda!

SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 6 de 6

Mini-Curso de SEO – Como Optimizar o seu blog ou Site para o Google – Parte 6 de 6

Se ainda não leu os artigos anteriores, recomendo que os leia também.
Pode encontrá-los aqui:
SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 1 de 6
SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 2 de 6
SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 3 de 6
SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 4 de 6
SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 5 de 6

No último artigo do Mini-Curso de SEO, vou falar sobre Robots.txt, Duplicação de Conteúdo e outras considerações.
SEO - Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google - Parte 6 de 6

Robots.txt
Este é o primeiro ficheiro que os motores de busca procuram quando chegam ao seu site.
Enquante que colocando um ficheiro robots.txt em branco não ajuda os motores de busca, ajudará a reduzir as vezes que os erros 404 aparecem nos seus ficheiros de log/registo.
É igualmente muito recomendável, que, caso use um Sitemap XML, coloque uma linha de código no seu ficheiro robots.txt para ajudar o Google, bem como os restantes motores de busca a encontrarem o seu ficheiro de Sitemap.
Código para o robots.txt: “Sitemap: http://www.omeusite.com/sitemap.xml”.

Bloqueios à Indexação
Se suspeita que o seu site não está a ser indexado convenientemente, reveja alguns aspectos que possam estar a causar esse bloqueio.É muito comum acontecer que certos scripts em Flash (por exemplo), bloqueiem os motores de busca, e não lhes permitam fazer uma leitura correcta do seu site e dos respectivos conteúdos das suas páginas.
Para ter a certeza que ultrapassa algum tipo de dificuldade na indexação, ou para se certificar que não tem este tipo de problemas, utilize o Google Webmaster Tools.

Duplicação de Conteúdo
A duplicação de conteúdo é algo que o Google não aprova. De tal forma, que pode sair altamente penalizado, ver o seu site banido do Google até, se for uma situação recorrente.
Certifique-se que não utiliza conteúdo que não seja original, copiado ou “emprestado” de outros sites. Isso pode ser muito penalizador para si. Além de que não está a contribuir para adiconar valor, uma vez que o mesmo conteúdo está disponível noutro site.

Actualizações Regulares e Frequentes
Caso seja um blog, tente actualizá-lo frequentemente. No caso de um site,
se não for um site dinâmico que permita actualizações, corre o risco de ser ultrapassado pelos seus concorrentes.
A verdade é que o Google gosta de conteúdos “frescos” e frequentes, e valoriza um site ou blog também com base nisso. E quanto mais competitivo for o nicho de mercado, mais dificil será conseguir manter bons rankings, sem fazer actualizações.

Load Time ou Tempo de Carregamento da Página
Se lhe disserem que este é um factor que pode ser benéfico em termos de SEO, não lhe estão a dizer toda a verdade.
Se o seu site demora 2 segundos a carregar não é mais beneficiado do que outros que demorem 5 segundos.
Desde que isso não impeça o Google de analisar o seu site, não sairá penalizado. No entanto, em termos de experiência do utilizador que está a visitar o seu site, é altamente penalizador se o site demorar muito tempo a carregar, pois dificulta imenso a navegação e desmotiva-o muitas vezes ao ponto em que simplesmente abandona o site e segue para o próximo.
Outro aspecto a considerar, é que se estiver a utililizar o Google Adwords para correr campanhas para esse site, pode ser prejudicado em termos de Quality Score, ou seja, a pontuação que o Google dá à landing page da campanha, podendo com isso estar a pagar mais por clique do que na realidade estaria, se não tivesse esse problema.

Espero que tenha gostado deste Mini-Curso!
Foi interessante recolher e compilar esta informação. Agora dê-lhe uso!

Se tiver alguma dúvida ou questão sobre algum tema que falei aqui, não hesite em deixar o seu comentário.

SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 5 de 6

Mini-Curso de SEO – Como Optimizar o seu blog ou Site para o Google – Parte 5

Se ainda não leu os artigos anteriores, recomendo que os leia também.
Pode encontrá-los aqui:
– SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 1 de 6
– SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 2 de 6
– SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 3 de 6
– SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 4 de 6

Neste quinto artigo do Mini-Curso de SEO, vou falar sobre Redireccionamentos, URL’s e Sitemaps. Todos eles aspectos importantes no processo de optimização de um site.

SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 5 de 6

Redireccionamentos
Se moveu ou vai mover alguma página de sítio, é conveniente utilizar um redireccionamento para não perder os rankings que já havia ganho com a página até à data.
Para isso, existem vários tipos de redireccionamentos que podem ser utilizados, cada um com a sua finalidade específica.
Se a alteração tem carácter definitivo, então deve utilizar um redireccionamento 301, se for temporário, um redireccionamento 302.
Por exemplo, imagine que tinha uma página que se chamava “contacto.html”, e que ao remodelar o seu site, a página dos contactos mudou de nome para “contacte-nos.html”. Então, deve configurar um redireccionamento 301 do endereço antigo “contacto.html” para o novo “contacte-nos.html”.

Com WWW ou Sem WWW
Pode parecer que não é muito importante, mas a verdade é que é sempre conveniente ter o endereço do seu site bem definido, para evitar estar a dividir Page Rank ou importancia perante o Google.
Se o endereço do seu site for www.omeusite.com, a verdade é que o Google pode estar a dividir page rank entre a versão com o “www” e a versão sem o “www”. Daí que é muito importante, definir um para se manter e efectuar um redireccionamento permanente
no endereço da versão que você não quer. Neste exemplo, se tivesse escolhido a versão www.omeusite.com, então deverá configurar um redireccionamento do endereço omeusite.com para o www.omeusite.com.

URL da Homepage
Nunca tenha mais de um url para a homepage do seu site ou blog.
Quando existem mais do que um url para a homepage o Google olha para eles de forma independente.
Imagine que “www.omeusite.com” e
“www.omeusite.com/index.html”
vão para a homepage. Neste caso, apesar de ambos o url’s irem para a mesma página, o Google vê-os como páginas separadas.
Aqui, deve aplicar o mesmo princípio do redireccionamento 301, de forma a consolidar os seus url’s e aumentar as chances de ter melhores rankings.

XML Sitemaps
os Sitemaps XML são uma excelente forma de permitir aos motores de busca em geral e ao Google, em particular, “tirar uma fotografia” ao seu site.
Enquanto que um Sitemap XML não ajuda na obtenção de melhores rankings, ajuda o Google a detectar alterações em termos de SEO com maior facilidade e rapidez, o que por sua vez, também é benéfico.

Tenho algum receio de estar a utilizar linguagem um pouco mais técnica, que possivelmente poderá não estar ao alcance de todos. Se for esse o seu caso, não tenha problemas e coloque a sua questão através dos comentários.
Lembre-se: perguntar não é sinal de burrice, é sinal de inteligência!

Até ao próximo e último artigo deste Mini-Curso!

Próximo artigo desta série:
SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 6 de 6 – Robots.txt, Duplicação de Conteúdo e outras considerações

SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 4 de 6

Mini-Curso de SEO – Como Optimizar o seu blog ou Site para o Google – Parte 4

No quarto artigo deste Mini-Curso, vou falar sobre o Google Webmaster Tools.

O Google Webmaster Tools pode ser uma ferramenta muito útil para o auxiliar nos seus esforços de optimização do seu site.
Não o ajudará directamente a melhorar os seus rankings, mas dá-lhe uma ajuda preciosa se estiver a deparar-se com problemas. Além de que, também o ajuda a identificar e selecionar URL’s que você não quer indexados, assim como outras preferências, tipo: crawl rate e o target em termos geográficos.

SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 4

XML Sitemaps
Esta é a razão mais comum porque as pessoas recorrem e utilizam o Google Webmaster Tools, pois permite a submissão do seu XML Sitemap. Enquanto que pode utilizar o seu ficheiro robots.txt para fazer com que o Google encontre o seu XML sitemap, ao submetê-lo ao Google poderá acompanhar o seu status.

Verificação de Erros
O Google Webmaster Tools também pode ser muito útil na identificação de erros que o Google tenha notado. Ao consultar a opção Diagnostics > Web Crawl, poderá ver se o Google identificou algum erro e corrigi-lo, aumentando, desta forma, as suas hipóteses de melhorar o seu ranking.

Status de WWW
Certifique-se que selecciona uma opção no menu Tools > Set Preferred Domain. Esta opção é muito importante. Defina se o seu domínio deve incluir o “www” ou não, e mantenha-se fiel a essa escolha. Caso contrário pode estar a dividir rankings entre uma versão e outra (com e sem o “www”).

Links
Através da visão que consegue obter através do Google Webmaster Tools, consegue ter uma percepção muita mais “afinada”, sobre quais são os sites que o Google identifica como tendo links para o seu, e, se for caso disso, investir algum trabalho numa estratégia de link building.
Os links para o seu site desempenham um papel muito importante na determinação do seu ranking. Certifique-se que implementa uma estratégia de Link Building consistente, e que lhe permita, agora e no futuro ter fundações sólidas para apoiar o seu ranking.

Se tem alguma questão, ou algum contributo a dar a este artigo, deixe o seu comentário!

Próximo artigo desta série:
SEO – Como Optimizar o seu Site ou Blog para o Google – Parte 5 de 6 – Completando a Optimização