Guia Prático Para o Sucesso no Facebook : parte 2

Como já mencionei noutro artigo, mais importante que estar no Facebook, é saber como lá estar e o que fazer.

Esta é sem dúvida um dos pontos mais importantes, e possivelmente, um dos pontos onde existe maior dificuldade em implementar uma estratégia com sucesso, o que eu acho absolutamente normal, uma vez que as pessoas não são todas dotadas do conhecimento necessário sobre tudo, e têm tantos outros aspetos da sua carreira/empresa/trabalho em que têm de se dedicar a 100%, que por vezes sobra pouco tempo, disposição e/ou vontade para que se dediquem a outros aspetos que surgem em determinada altura, e que para muitos, não está directamente relacionada com o negócio. Mas há alguns “truques” que ajudam…

Se ainda não leu o primeiro artigo do Guia Prático para o Sucesso no Facebook, aconselho a leitura antes deste para não perder o “fio à meada”.

Seja como for, uma excelente técnica para ultrapassar esta dificuldade, de forma a que deixe de haver tanta resistência ou como meio de facilitar a abordagem, é estabelecer de uma Paixão Comum.

Paixão comum? O quê? Porquê? Para quê? O tipo ficou doido…

Pois bem, primeiro o “o quê“.

O “quê”

O que quero dizer com paixão comum, não é mais que um denominador comum, ou seja, um ponto que seja comum a todos (ou à maioria) das pessoas que estão ligadas/interessadas no seu nicho de mercado. Algo que lhes seja comum e que lhes toque de forma próxima.

(exemplo: A Castrol USA descobriu que os consumidores gostavam de corridas, então esse é o ponto base de toda a sua presença no Facebook. Já com a Castrol em Espanhol, a base da sua presença é o futebol)

O “Porquê”

Tal como noutras técnicas de Web Marketing, o contexto é um aspeto muito importante, e aqui não é exceção.

Em vez que se lançar “de cabeça” no Facebook, sem saber muito bem o que vai fazer, é aconselhável pensar um pouco sobre o assunto.

Normalmente, quando se fala em utilizar o Facebook, as pessoas respondem que o utilizam para publicar notícias dos seus sites. Pois bem, então o que é que o diferencia dos outros sites/empresas que fazem exatamente o mesmo?

A resposta é fácil. Nada!

“Então mas eu posso ir para o Facebook e só publicar notícias, não posso?”

Claro que pode. Desde que cumpra as regras de utilização do Facebook, pode publicar as notícias que quiser.

Mas agora pergunto eu: se for só para isso, será que vale a pena o trabalho?

O “Para quê”

Se for assinante ou leitor assíduo do Web Marketing, já deve ter lido um artigo que publiquei onde mostro um estudo que explica porque é que as pessoas seguem as marcas no Facebook e noutras redes sociais. Não é o único estudo, já há vários sobre este tema, mas todos eles têm pontos comuns:

Os principais motivos pelos quais as pessoas seguem as marcas, empresas e sites, são:

  1. para terem acesso a informação sobre produtos, serviços, etc
  2. para terem acesso a campanhas e acções especiais para fãs/seguidores

Sobre o segundo ponto falarei noutro artigo. Agora, mais importante que isso, é ter algo que seja do interesse dos seus fãs, para que que sintam que fazem parte de um grupo que tem algo em comum além do óbvio.

Para isso, muitas marcas e empresas aliam-se aos mais variados temas, como o desporto, a responsabilidade social, a conservação da natureza, etc. Isto porque sabem que há grandes quantidades de adeptos para todas estas grandes causas, e com isso conseguem atingir não só aqueles que simpatizam com as suas marcas ou produtos, mas também aqueles, que não tendo ligação à marca ou empresa, são defensores da causa em questão.

Com isto conseguem aumentar exponencialmente o âmbito da sua presença e visibilidade no Facebook, sem se limitarem a publicar notícias. Consegue ver o potencial?

Claro que para sites mais pequenos, será mais difícil colocar em prática esta técnica, mas não é impossível. Requer simplesmente uma adaptação, isto é, não será tanto pela adoção de um tema de fundo na base da sua presença, mas mais com base em outros aspetos alternativos, como são o enriquecimento dos conteúdos publicados, a frequência de publicação, e a criação de valor acrescentado através da disponibilização de recursos especificamente para fãs.

Dica “Secreta”

Já agora, há uma dica que lhe pode ser muito útil, principalmente, se mesmo depois de ter lido este artigo ainda se sente confuso sobre a abordagem a adotar.

Lembra-se de eu ter falado no artigo anterior do Social Bakers e do FBRankPT?

Pois, se ainda está confuso, pode sempre dar uma de espião! :) Eu explico.

Através destes recursos, pode procurar por páginas dentro seu nicho e que já tenham sucesso, e tornar-se fã, de forma a “espiar” o que eles fazem e aprender com isso. Daí sempre pode tirar ideias, boas práticas e o feedback da comunidade sobre o que gostam e o que não gostam, etc, e com base nessa informação, delinear a sua estratégia, sabendo à partida, que irá pelo caminho certo, ou que, pelo menos, não irá pelo caminho errado :)

Espero com isto, ter ajudado a eliminar muitas questões e muitas dúvidas que são comuns sobre como começar a abordagem ao Facebook.

Se procura um apoio mais dedicado no (re)lançamento da sua página no Facebook, os meus serviços de consultoria estão ao seu dispor.

Claro que, se tiver alguma questão, pode colocá-la que eu respondo, como sempre.

E já agora, também gostava de saber a sua opinião!

 

GOSTOU DESTE CONTEÚDO?
ASSINE GRATUITAMENTE E RECEBA TODOS DICAS NO SEU EMAIL!

A sua privacidade é garantida a 100%!
  • Ora Ora a minha opinião, vai ser desde já muito geral e mais do mesmo, estar no facebook é essencial para qualquer empresa, na minha opinião o pessoal segue as marcas por 3 razoes, para compor os seus gostos e naturalmente porque gosta de alguma forma, segue a marca na esperança de descontos, segue a marca porque lhe é dado algo em troca(passatempo,valor,seja o que for)

    A maior jogada que se pode fazer é “subornar” os fãs, imaginemos um negocio em vila real, um restaurante cujo publico alvo seja pessoas de vila real, o restaurante faz uma parceria com um lar de idosos/instituição em vila real e da 0,25€ cêntimos por fã, num instante tem muitas pessoas daquela zona e não só a promoverem a pagina aos amigos de forma viral…

    Outra hipótese, e na minha opinião melhor para este caso especifico é efectuar uma parceria com um bom hotel da região, e sortear uma estadia de duas noites para 2 pessoas, neste caso é bom fazer o hotel perceber que também sai beneficiado da historia e arranjar uma boa parceria para ambos se não a brincadeira sai cara 😀

    E só mais uma, para promover um evento como o dia dos namorados, quem quiser ganhar tem que partilhar uma mensagem(Eu quero ganhar um jantar no Arco do Lopes!) e depois uma boa descrição, um coração como imagem,etc…isso faria muitos jovens(e não só) partilharem e o evento era promovido muito facilmente e qual o custo disto? Um jantar? Nao deve ficar assim tão caro oferecer um jantar…

    Ah mil e uma formas de chegar a um publico alvo :)

    Ah, e outra coisa interessante, agora o facebook esta a testar em 1% dos utilizadores “cuscar-lhe as conversas” e segmentar a publicidade a partir dai, portanto se eu digo a um colega meu no chat do facebook que o meu carro avariou é possivel de seguida aparecer um anuncio duma oficina :)

  • É verdade Bruno, existem muitas mecânicas que se podem adotar para aumentar o alcance da comunicação no FB.

    O que me levou a escrever este artigo, tem mais a haver com o fato de que tenho sentido que, antes de se chegar aí, ainda muitas pessoas e empresas (PME’s), têm dificuldade em se inteirar do contexto e da estratégia que devem adotar no FB, isto antes de se pensar em ações concretas.

    O exemplo que deste da parceria é muito interessante, mas ele tem de encaixar num “big picture”, e é no delinear desse “big picture” que tenho visto muitas dificuldades em concretizar.

    Mais para a frente nesta série, vou também falar sobre algumas ações mais concretas para “chegar mais longe” e, como disse, o exemplo que deste é muito bom. Se calhar até vou utilizá-lo, e assim até mostro aos leitores que também podem ser mais interventivos :)
    2 em 1! Parece-te bem?

  • Força, utiliza-os á vontade, faz algumas correcções ortográficas para ficar suficientemente simples para um post, acho que as formas que apresentei podem ser uma alternativa valida e apresentar um retorno mais elevado do que anunciar no próprio facebook.