Engagement: Um Conceito Obrigatório Para Ter Sucesso No Facebook!

Criar engagement ou aumentar o engagement de uma página no Facebook é, a meu ver, algo absolutamente prioritário depois de apostar na sua criação.

O tom um pouco mais agressivo deste artigo, destina-se, não a ofender ninguém, mas sim a despertar consciências.

Ao contrário do que muitas pessoas ainda pensam, criar uma página no Facebook não é um objetivo, mas sim o início da implementação de uma estratégia de marketing digital para promover um site, marca, empresa ou serviço.

Entenda-se por engagement, algo como a capacidade de estabelecer conversas bilaterais com os seus prospetos, afim de aumentar o grau de ligação a si e estabelecer relações mais próximas entre eles (os seus prospetos) e a sua marca, empresa ou o seu site.

Não basta estar presente no Facebook, só por estar, ou só porque “está na moda” estar no Facebook. É preciso saber o que fazer para estabelecer relações com os seus prospetos, clientes ou apenas interessados no que você tem para partilhar.

Ainda hoje, por incrível que possa parecer, ainda é comum vermos páginas de Facebook “geridas” por pessoas que acham que é suficiente despejar os seus conteúdos de forma repetida e desligada e “empurrá-los” para a frente do máximo de pessoas possível, sem mostrar qualquer vontade ou disponibilidade para estabelecer um diálogo.

Será ignorância ou desleixo?

A ignorância é uma justificação razoável, já que ninguém nasceu ensinado, e o processo de aprendizagem é, como sabemos, um processo contínuo.

Mas até a própria ignorância deixa de ser desculpa, quando as oportunidades para melhorar (ou aprender a melhorar) existem com fartura, e simplesmente não existe vontade de o fazer.

Aí, passamos a uma situação de puro desleixo.

O “eu sei publicar conteúdos no Facebook” passa a ser suficiente para estas pessoas, sem fazerem o mínimo de ideia do que isso significa, ou do que estão a abdicar ao adotarem uma abordagem tão reduzida e exageradamente simplista.

Seria um passo gigante para estas pessoas entenderem que os fãs são pessoas e não robots, e tal como pessoas que são, têm interesses, vontades, opiniões e pontos de vista que também gostam de partilhar.

Claro que, se a abordagem destas pessoas for numa perspetiva reduzida de, “quero utilizar o Facebook apenas para despejar as minhas notícias e promoções”, nesse caso, estão no bom caminho, sem dúvida.

No bom caminho para amanhã estarem a falar sozinhos ou para meia dúzia de (des)interessados.

Se não têm vontade de fazer mais e melhor, então façam um favor a todos nós e PAREM. Por favor parem de fazer SPAM nas Redes Sociais!

Neste momento, não há desculpas para não fazer melhor. A Internet está cheia de bons artigos, recursos, estratégias que qualquer pessoa pode implementar para gerir uma página de Facebook com sucesso.

Não é necessário ter um curso superior ou uma formação especialmente técnica para o fazer. Basta vontade de aprender e algum empenho.

Só isso, será meio caminho para ter uma página de sucesso no Facebook.

Para contribuir para eliminar as (falsas) desculpas do desconhecimento, também eu me proponho a criar alguns artigos com dicas sobre como o fazer, e nessa altura, tenho a certeza que se essas pessoas, se se derem ao trabalho de os ler, dirão (espantadas ou não): “Afinal até uma criança faz isto!”

Tem ideia de algum tópico em particular para eu abordar num próximo artigo?

Talvez algo onde tenha conhecimento de haver alguma dificuldade generalizado ou algo parecido?

  • Well done, João! Sem papas na língua :) Tenho uma reflexão sobre o tema – em primeiro lugar, a maioria dos negócios ainda não percebeu bem o interesse estratégico da sua presença no Facebook; sabem que é preciso lá estar, é moda, mas ainda não está na sua agenda das “coisas estrategicamente vitais”. E, depois disso, ainda é preciso afectarem as tarefas de manutenção a alguém que perceba bem a cultura da empresa e esteja quase a tempo inteiro a trabalhar sobre o assunto – dá muito trabalho e exige um conhecimento profundo dos temas globais de uma organização. E, finalmente, a forma de estar no Facebook requer uma atitude genuinamente orientada para o cliente, coisa com que a maioria das empresas ainda anda um bocadito atrapalhada, mais dedicados a relatórios de gestão, concorrência e indicadores financeiros.

    Deixo-lhe umas sugestões para próximos posts, que não há nada como ir aproveitando quem sabe :). Etiqueta de Facebook (tenho visto as coisas mais incríveis…). Aplicativos para tornar o FB ainda mais próximo – por exemplo, gostaria de ter uma espécie de webinars no Facebook da Oficina de Psicologia, que reflectissem encontros semanais, com possibilidade de voz e vídeo e não faço ideia do que exista nesta área; ou ter mostra de vídeos enviados pelos fãs (como faz a Oreo); e a questão mais prosaica de desenvolver páginas além da página de boas-vindas específicas por actividades; e a menos prosaica questão dos concursos. E, depois de lhe ter arranjado com que se entreter um ano inteiro, saio de fininho, assim com toda a ingenuidade 😀

    Obrigada pelos seus posts! Não há vírgula que eu não leia.
    Madalena Lobo

  • @facebook-100002143513385:disqus 

    Olá Madalena, é sempre um prazer receber a sua visita!
    Obrigado pelo comentário, pelas sugestões e por se manter uma leitora “fidelizada” :)

    Vou certamente tomar nota das suas valiosas sugestões para futuros artigos! 

  • joao machado

    João, bom post, o facebook é ouro para os micro e pme, pena que ainda não perceberam como podem converter a presença em valor, seja euros ou “engagement”.

    Madalena, nós (uma empresa Portuguesa criada exclusivamente para micro e pmes) temos todas essas aplicações…mas não vou fazer spam(é uma das razões pq não me identifico aqui desde que comecei a ler,), caso o João autorize deixo aqui o meu email, não o endereço para não estar a “roubar” backlinkings .

    P.S – João assim que tenha tempo vou escrever-lhe um email 😉

  • joao machado

    já agora 2 ferramentas que podem dar jeito para medirem/gerirem.

    1- sproutsocial

    2 – edgerankchecker

    google or bing it 😉

  • @google-a3c17a72e4a16cea35fdee5d6862f271:disqus 

    Obrigado João!

    Sobre este pormenor:
    “(é uma das razões pq não me identifico aqui desde que comecei a ler,)”
    Eu creio que queria dizer o contrário do que disse, não?  :)

    Pode deixar o seu contato ou o url do site, se quiser.

    PS: Ok, combinado!

  • Obrigado pelo input!
    Esse será um tema, que, no seguimento deste, irei abordar em breve!
    Os vossos inputs são sempre enriquecedores, já que penso que nem ia mencionar nenhuma dessas aplicações :)

  • joao machado

    Não me identifico = a não colocar link de contacto 😉 com o blog identifico-me bastante 😉

  • :)