O Barato Sai Caro!

Esta é uma expressão muito conhecida, e todos ou quase todos certamente já a ouviram em algum momento.

O Barato sai Caro“, quer dizer exactamente isso, que muitas vezes, aquilo que a primeira vista é mais barato, acaba por sair caro, ou porque se avaria com facilidade, porque não nos dá os resultados que estávamos a espera, ou porque temos de comprar mais quantidade para que faça o efeito esperado, enfim, no fim das contas, a realidade é que acabamos por gastar mais dinheiro, do que se comprarmos logo algo que aparentemente é mais caro mas terá mais qualidade.

barato

Não sei se já você reparou, mas é curioso como, na internet existe uma procura intensa por coisas grátis, seja produtos, serviços, software, etc.

Provavelmente algumas pessoas que forem ler este artigo, estão também incluídos no grupo de pessoas que procura coisas grátis na internet. E se for esso o caso, seria interessante lerem este artigo até ao fim.

É importante perceber que, o preço e a qualidade estão muitas vezes interligados, isto é, muito embora não seja sempre assim, muitas vezes o preço mais alto é reflexo de melhor qualidade. Repare que eu disse, que não é sempre assim.

No entanto, é um facto sobejamente assumido que a internet veio disponibilizar muitos produtos e serviços a preços mais competitivos. Chame-se fruto da globalização ou efeitos da evolução das comunicações, o facto é que hoje é possível obter tudo ou quase tudo a partir da internet.

Isto não quer dizer que, não hajam pessoas “do outro lado” a providenciar esses produtos ou serviços. Claro que muitas vezes são processos que são automatizados para que se consigam comercializar a baixo custo, e com isso ganhar clientes e mercado. Mas, onde quer que seja, existirá sempre alguém por trás desse automatismo.

Agora, sinceramente, você que é ambicioso e quer naturalmente atingir certos patamares de sucesso, incluindo financeiro, acha que essas tais pessoas que estão do outro lado, trabalham apenas por gosto? ou, como se costuma dizer, trabalham para aquecer?

Não terão essas pessoas também direito a serem remuneradas pelo trabalho que fazem? especialmente se for um trabalho de qualidade?

Eu acredito que sim, e é minha prática comum, pagar para utilizar algo que tem qualidade e que me dá os resultados que eu espero. No entanto, fico, não digo pasmado porque isso talvez seja demais, mas diria algo admirado, quando vejo que as pessoas esperam que as outras trabalhem de graça para elas, sabe-se lá porquê…

Não sei sinceramente o que estas pessoas pensam, ou o que lhes vai na cabeça, quando pedem ou encomendam um produto ou serviço e lhes é pedido dinheiro em troca. Esta é a lei mais básica da economia, e na qual assenta a economia mundial.

Será que estas pessoas trabalham de graça? Se não, então porque é que esperam que os outros o façam?

Custa-me um pouco a compreender porque é que têm este comportamento, e mais ainda quando levado a extremos.

Mas ao pensar melhor neste assunto, cheguei a uma conclusão. É que, essas pessoas não sabem o que perdem e o que deixam de fazer, só porque fazem questão de não comprar nada ou não pagar por nenhum produto ou serviço.

Na realidade, elas não sabem sequer ao que se estão a privar, e muito possivelmente às vantagens que poderiam vir a tirar se soubessem analisar melhor as suas opções, sem que o grátis fosse uma condição obrigatória para fazer alguma coisa.

No que respeita à minha experiência, eu tanto utilizo serviços gratuitos, como serviços pagos, desde que sirvam e cumpram com os meus objectivos, e cada vez mais me convenço que, salvo alguns casos em que não justifica o investimento, ou porque existe um serviço que me satisfaz em pleno, ou porque não é algo que eu necessite mesmo, pagar por um serviço, tem-me trazido muitas vantagens e excelentes resultados, não só quantitativos, mas também qualitativos.

Muitas vezes estamos a falar de valores que não cobrem o que se gasta numa noite de folia com os amigos, numa jantarada, ou num fim de semana, e são na realidade investimentos, e não gastos como são estes exemplos. E acreditem, (agora não, mas) noutros tempos, eu já gastei muito dinheiro em jantaradas, fins de semana e noitadas com os amigos.

Para terminar, gostava de deixar as seguintes conclusões (minhas, claro):

  • não por algo ser “o mais caro” que é “o melhor”
  • não é por algo ser grátis que com isso se consegue os mesmos resultados que com algo pago
  • muitas vezes gasta-se muito dinheiro “mal gasto”, e não se dispende de uns trocos para pagar um produto ou serviço, porque se acha que deveria de ser gratuito
  • uma pessoa ou uma empresa não deve limitar as suas capacidades, os seus projectos e os seus resultados à utilização de “coisas” gratuitas, pois tenderá a arrepender-se mais tarde
  • saber analisar bem as situações, os seus benefícios e inconvenientes, pode significar uma decisão fundamental no caminho para o sucesso. Seja em que área for.

A minha opinião é formada na minha experiência pessoal e na de outras pessoas que partilharam as suas experiências comigo. E você, qual é a sua opinião?

Comments (13)
  1. Joao Santos 10 Março, 2010
  2. Joao Rodrigues 10 Março, 2010
  3. José 11 Março, 2010
  4. Joao Rodrigues 12 Março, 2010
  5. Sandra - Info-Macross 12 Março, 2010
  6. Joao Rodrigues 13 Março, 2010
  7. Iúri 16 Março, 2010
  8. Joao Rodrigues 16 Março, 2010
  9. Arthur 3 Abril, 2010
  10. Joao Rodrigues 3 Abril, 2010
  11. endim mawess 2 Maio, 2010
  12. Joao Rodrigues 2 Maio, 2010
  13. JustMi 9 Fevereiro, 2012